domingo, 17 dezembro, 2017.

Arquivos diários: 4 de junho de 2017

Comércio do Alecrim e mudança do Teatro Sandoval Wanderley pautam audiência

Com o objetivo de debater o desenvolvimento socioeconômico do bairro do Alecrim que implicará no futuro do Teatro Municipal Sandoval Wanderley, a Câmara Municipal de Natal, através da inciativa do vereador Ney Lopes Júnior (PSD), realizou audiência pública na tarde desta sexta-feira (2) no plenário da Casa com a presença do Prefeito da cidade, Carlos Eduardo Alves, parlamentares, representantes da Câmara de Dirigentes e Lojistas de Natal (CDL), membros da Rede Potiguar de Teatro, moradores e sindicatos do Alecrim.

“Essa audiência não trata exclusivamente do Teatro Sandoval Wanderley. Será objeto de discussão e explanação hoje, a conjunção de um espaço moderno e dinâmico, propício para fomentar a economia da nossa cidade e, consequentemente, trazer melhorias e renda para a população”, destacou o vereador Ney Júnior.

O Prefeito Carlos Eduardo apresentou os projetos de urbanização que a Prefeitura do Natal pretende implementar, em parceria com a iniciativa privada, naquele bairro. “Existe um grupo investidor que tem um projeto de construir no Alecrim um shopping com 280 lojas, praça de alimentação, estacionamento para mil vagas, 4 mini shoppings, o que significa uma possibilidade de até seis mil empregos novos. Isso ensejará uma revitalização do bairro, que está deteriorado, porque a Prefeitura vai cobrar responsabilidade social como a padronização de calçadas, a adoção da Praça Gentil Ferreira, entre outros instrumentos sociais”, afirmou o Prefeito. Isso acarretará, disse,  a transferência do teatro que ali existe e está interditado há alguns anos.

O Executivo já solicitou autorização da Câmara para leiloar a venda do Teatro e com os recursos construí-lo no bairro da Ribeira. “O que nós estamos propondo é a transferência do teatro do Alecrim para o bairro da Ribeira. Essa proposta foi aprovada pelo conselho de cultura do município. Vamos ajudar o Alecrim a se desenvolver no comércio e vamos ajudar a Ribeira a voltar a ser o grande polo da cultura natalense”, enfatizou. Mas a ideia não está agradando a classe artística.

O ator e dramaturgo César Ferrario, defendeu a manutenção  do Teatro no mesmo local. “Eu não acredito que a Ribeira seja um bairro vocacionado à cultura e o Alecrim seja um bairro vocacionado ao comércio. Eu acho que as pessoas são condicionadas àquilo que lhes é oferecido. Se a gente der teatro de qualidade, os moradores do Alecrim vão usufruir, se a gente der um bom shopping aos moradores da Ribeira, eles também vão usufruir. As coisas não são excludentes. Por que transferir e não manter o Teatro Sandoval?”, indagou.

Já Augusto Vaz, presidente da CDL, enfatizou que o projeto de revitalização do comércio vai regularizar os comerciantes do bairro. “A modernização do Alecrim vai mexer com comerciantes informais, vai proporcionar um lugar melhor para eles trabalharem. Estamos com expectativas que após esse projeto o Alecrim volte a ser uma referência de compra para uma fatia maior da população”, disse.

Para o Presidente da Câmara Municipal, vereador Raniere Barbosa (PDT) é preciso um estudo minucioso sobre o projeto apresentado pela Prefeitura do Natal para não favorecer apenas alguns setores. “Estamos discutindo a cultura e a economia da cidade, portanto é importante saber qual a melhor situação para o Alecrim, se a migração do teatro vai realmente potencializar a economia do bairro e se o novo teatro vai gerar cultura e abrigar os artistas de Natal”, disse Raniere.
Assista a audiência pelo canal da TV Câmara: https://www.youtube.com/watch?v=yB4gY5IgGHc

Texto: Gabriela Fernandes
Fotos: Epídio Júnior

VOLTAR

Mossoroense Claudinha Gadelha vence aos 3 minutos de luta

A mossoroense Claudinha Gadelha deixou a Arena da Barra com uma das melhores performances do evento.

Ela nem tomou conhecimento da adversária Karolina Kowalkiewicz. Aos 3m03s do primeiro round, Claudinha foi para as costas da adversária e finalizou sem dificuldades.

O nocaute de Max Holloway rendeu ao americano o cinturão dos penas do Ultimate e, de carona, o bônus de melhor luta da noite.

José Aldo e o americano garantiram 50 mil dólares pela premiação (aproximadamente R$ 160 mil), assim como Claudia Gadelha e Brian Kelleher.

Holloway precisou de três rounds para desbancar José Aldo no Rio de Janeiro. O americano derrubou o brasileiro, fez pressão no chão, tentou a finalização, mas terminou o combate com uma sequência de golpes na cabeça – Big John McCarthy foi obrigado a intervir.

Kelleher foi uma das grandes surpresas do evento. Estreante no Ultimate, aproveitou deslize de Iuri Marajó e venceu por nocaute.

Com informações do SporTV

Foto: André Durão

Bebês devem sair da maternidade com CPF na certidão de nascimento


Os recém-nascidos no Ceará deverão sair da maternidade com número de Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) na certidão de nascimento.

A novidade já começou a valer nesta sexta-feira (2) para todos os cartórios de Registro de Pessoas Naturais do Estado. A decisão é da Corregedoria-Geral da Justiça.

De acordo com a medida, os cartórios deverão realizar o serviço gratuitamente. Eles devem proceder, de imediato, à assinatura eletrônica, através da Central de Informações de Registro Civil das Pessoas Naturais, instituída pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para facilitar a emissão do CPF, que se encontra disponível no site.

Para expedir a determinação, o corregedor-geral da Justiça, desembargador Francisco Darival Beserra Primo, considerou que a emissão do CPF junto à certidão de nascimento representa “alcance do benefício social à população carente, bem como à patente forma de inclusão dos mais desfavorecidos, especialmente, pela ampliação do serviço gratuito”.

A Corregedoria-Geral é um órgão do Tribunal de Justiça do Ceará que tem a competência de fiscalizar, orientar e aprimorar os serviços judiciais (Varas e Juizados) e extrajudiciais (cartórios) disponibilizados à população. Também zela pela regular conduta dos juízes e servidores.

Com informações do TJCE

Desorganizado, MCJ terá Cidadela menor e apenas um palco

Uma nítida mostra da desorganização do Mossoró Cidade Junina esse ano é que a população ainda não entrou no clima. A cidade não tem uma só bandeira, um só balão em suas ruas.

Em todos os pólos do evento o que se vê é gambiarra.

No Cidadela, por exemplo, o evento será menor, com apenas um palco. Nos anos anteriores eram dois, o que beneficiava todos os comerciantes, artistas e contemplava os dois lados do Cidadela. Tendo em vista que a procura pelo local cresceu, prestigiava todo mundo. Se observado o tamanho do evento, seria um custo irrisório para o município.

cidadelajunina

Outro palco que também acabou foi o principal da Estação das Artes. o que irá ocasionar ainda mais demora. É que por os músicos terem que começar a tocar cedo, em virtude de acordo com o Ministério Público, quando acabar uma banda o intervalo de uma para a outra será de algo em torno de uma hora, tendo em vista que terá que passar som, arrumação de palco, etc. Isso por si
só já mostra que irá reduzir bastante o tempo do evento.

Façamos as contas em 3 bandas que farão intervalo entre uma e outra de 30 minutos, por exemplo, já serão 1h30 a menos de shows na Estação das Artes Elizeu Ventania.

Em se tratando de horário e estrutura já fica claro que haverá um imenso prejuízo ao visitante do Mossoró Cidade Junina, que terá vários intervalos de bandas e também um prejuízo direto para os barraqueiros, o que pode fazer com que as pessoas vão embora, por não quererem esperar passar o som. Aumentando também a probabilidade de confusão.

Com essa ação por parte da prefeita Rosalba Ciarlini, em diminuir o Mossoró Cidade Junina, também haverá uma baixa direta na lucratividade do evento.

Faltam poucos dias para o evento e apenas a estrutura de camarotes começou a ser erguida na Estação das Artes.

Veja também