domingo, 25 junho, 2017.

Arquivos diários: 17 de junho de 2017

Prefeitura gasta R$ 300 mil em estrutura que não usa e transfere quadrilhas para ginásio

A desorganização do Mossoró Cidade Junina parece não ter fim. Mesmo investindo R$ 300 mil na arena das quadrilhas, o espaço ainda está sendo montado, mesmo depois do início do evento.

Por conta disso, as apresentações dos quadrilheiros foram transferidas para o ginásio da Escola Manoel Assis, que foi construído na gestão passada.

Sem bandeiras ou adereços juninos, as quadrilhas que representam outras cidades e as de Mossoró terão que se contentar com mais uma gambiarra de última hora da Prefeitura.

Na foto, ginásio da Escola Manoel Assis, que mais parece que vai sediar um jogo de Futebol de Salão do que uma competição junina.

Para advogado, liberação do MCJ é absurda

Se fosse no governo de Silveira, o mundo tinha caído e a imprensa comprada estaria estampando nas primeiras páginas, como ocorreu no ano passado. Mas… estamos no País de Mossoró, onde existem os INTOCÁVEIS.

Lamento. A lei é pra todos e não para uma parte. O Nogueirao faz parte da Sociedade e desde outubro/16 que estamos (desportistas) lutando pela liberação do Nogueirao. Mossoró mostrou-se a terra da resistência e da Liberdade, mas apareceu aqui em Mossoró um novo Virgulino Lampião, revestido de CMB, chamado Cap. Daniel e impôs aos políticos a Lei (que diga-se de passagem é aplicada pela legislação do Estado de São Paulo, aliás não são leis e sim Instruções Técnicas do Estado de SP).

Méritos ao Capitão, que mostrou força e não tenho nada contra, mas o tratamento que foi dado ao MCJ deveria ter sido o mesmo dado na nossa praça futebolística. Lamentável. Essa é minha opinião. Se não liberou o NOGUEIRÃO, que é menos grave, que não se libere o MCJ, que é extremamente mais grave e põe em risco a população, num geral.

Minha opinião, respeito a dos demais, mas não poderia deixar de mostrar minha indignação. VERGONHA. ISSO SE CHAMA SAFADEZA E SUBMISSÃO.

Abraão Dutra Advogado.

Prefeitura de Natal deverá atrasar primeira parcela do 13°

Os servidores da Prefeitura Municipal do Natal não deverão receber a primeira parcela do décimo terceiro salário neste mês de junho, como vinha sendo feito nos últimos quatro anos de gestão do prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT).

Segundo a Prefeitura, nem mesmo os salários mensais dos servidores estão sendo pagos da maneira correta, entre os últimos cinco dias úteis do mês, e é improvável que a primeira parcela do décimo terceiro seja paga até o final deste mês.

Os atrasos no pagamento dos servidores da Prefeitura do Natal estão acontecendo  desde o mês de fevereiro.

Prefeitura de Mossoró trata queda de estrutura como “incidente” e analisa se houve negligência

Um incidente. Foi assim que a Prefeitura de Mossoró tratou a queda da proteção do camarote ocorrida na tarde de ontem e que atingiu um carro e uma moto que trafegava pelo local, atingindo duas pessoas.

Em “nota de esclarecimento” a Prefeitura  diz que a Secretaria de Saúde acompanhou a vítima do “incidente” e que os danos materiais são de responsabilidade da empresa que montou a estrutura.

Ora, a estrutura caiu sem que houvesse sequer um empurrão. Caso o ocorrido tivesse acontecido horas mais tarde, o incidente teria sido um acidente de gravíssimas proporções, atingindo centenas de pessoas que se aglomeram naquele local dirante os shows.

Vale lembrar que o “incidente” poderia ter sido evitado. Como todos sabem, o órgão capacitado para avaliar os riscos e liberar a estrutura, o Corpo de Bombeiros, interditou o espaço que só foi utilizado com a força de decisão judicial emitida às 23h13.

Quanto aos danos materiais, é bom que os prejudicados procurem um bom advogado, já que a Prefeitura já está responsabilizando a empresa que montou a estrutura, sem falar que o município ainda está analisando se houve negligência por parte da empresa.

E se houve negligência por parte da Prefeitura, quem analisa?

Alô MP.

Veja a nota emitida pela Prefeitura na íntegra

Nota de esclarecimento

A Prefeitura de Mossoró informa que o incidente registrado na tarde desta sexta-feira não atingiu a estrutura dos camarotes e sim o tapume de proteção.

Na ocasião, uma pessoa passava no local e se envolveu em um pequeno acidente. A Secretaria de Saúde acompanhou o caso e explica que a vítima teve o atendimento necessário e já foi liberada.

A PMM também acompanha a situação que envolve os danos materiais causados ao proprietário do veículo atingido pelos tapumes, de responsabilidade da empresa ganhadora da licitação.

É importante destacar que um engenheiro da Secretaria de Infraestrutura esteve no local e verificou que o incidente não foi de maior gravidade e não há risco algum aos frequentadores do espaço. Os camarotes institucionais foram vistoriados na tarde de hoje pelo Corpo de Bombeiros, que também atestou a segurança.

A Procuradoria do Município está analisando a situação e se houve negligência por parte da empresa executora do projeto.

Veja também