terça-feira, 17 outubro, 2017.

Arquivos diários: 3 de agosto de 2017

Kelps diz que bancada federal do RN é fraca

 

*Kelps Lima critica bancada federal e acena para 2018*

O deputado estadual Kelps Lima (Solidariedade) criticou a atuação da bancada federal do Rio Grande do Norte, durante entrevista ao Jornal da Tarde (Rádio Rural de Mossoró), apresentado pelo jornalista Saulo Vale.

“A nossa bancada federal é muito fraca, porque não luta pelo estado. Eles são leões aqui no RN e vão se transformando em gatinhos no avião até chegar em Brasília, e descem do aeroporto todos miando”, ironizou.

Os senadores potiguares também foram alvos das críticas de Kelps. “O senador José Agripino, há 35 anos é senador ou governador do RN. O que diabos José Agripino fez a não ser eleger o filho deputado? Garibaldi foi presidente do Senado. O que fez? É um desastre para a política do Rio Grande do Norte”, disse.

Sobre a gestão Robinson Faria, o deputado oposicionista alfinetou. “Nada está sendo feito para mudar. O que Robinson fez para enfrentar a crise? Gastou um bilhão de reais da previdência, vendeu a conta do Banco do Brasil, aumentou os impostos. Acho Robinson um dos maiores desastres administrativos da história do Rio Grande do Norte”.

*Agenda na região Oeste*

Kelps Lima detalhou ainda a sua agenda na região Oeste potiguar. Afirmou que está estruturando o partido, com o projeto Jovens Líderes.

Sobre eleições 2018, o deputado afirmou que o Solidariedade vai lançar candidatos a todos os cargos eletivos, incluindo governador, sem descartar a possibilidade dele ser o candidato do partido ao governo estadual.

Assédio contra mulheres em ambiente de trabalho é debatido na Câmara de Natal

 

Dentro das discussões abordadas no “Agosto Lilás”, período do ano dedicado ao debate mais intenso em torno da proteção a mulher, a Câmara Municipal de Natal realizou audiência pública para discutir o assédio sexual e moral contra as mulheres no ambiente de trabalho. A proposição foi da vereadora Natália Bonavides (PT), em parceria com o Programa de Qualificação do Servidor (Proqualis) da Casa. Na ocasião, foi anunciada a campanha “Aqui é lugar de mulher”, iniciativa do mandato da parlamentar.

“Esse é o primeiro debate dentro da temática que todo lugar também é lugar de mulher. O mais grave é que essa situação nos limita. A gente passa a evitar, passa a mudar nosso modo de vestir, de se posicionar, de se comportar e até abandona o trabalho e perde oportunidades. Na próxima semana lançaremos a campanha ‘Aqui é lugar de mulher’ para incentivar mulheres a combaterem o problema. Cabe a cada uma de nós se autoafirmar e enfrentar tudo isso”, destacou a vereadora. Para a audiência de hoje foram convidadas militantes da causa, servidoras da câmara e representantes de órgãos e instituições públicas.

A advogada e militante Lorena Cordeiro relatou experiências de assédio que sofreu e como conseguiu lidar com a situação. Ela também revelou suas conclusões ao analisar essa experiência negativa. “O agressor geralmente age intimidando e reforçando a relação hierárquica. São colocações e olhares constrangedores, elogios e piadas que depois diz que era só brincadeira. A mulher vai se constrangendo e ficando confusa ao ponto de começar a se culpar, achar que é coisa da cabeça dela e que o erro é dela. Porém, falar rompe com essa relação e fortalece outras mulheres que estejam passando ou passaram por isso também. É preciso romper e se firmar colocando para o agressor que ali também é o local dela”, constata.

A orientação é que quando a mulher começa a se sentir desconfortável com elogios, palavras, olhares e toques, é um sinal de que algo está errado. “Quando ela tiver se sentindo invadida, constrangida, incomodada já é assedio. Isso é crime e a principal arma é conversar, primeiro com o assediador, e se mostrar desconfortável com a situação. Depois, comunicar ao seu superior e dividir isso com alguma colega de trabalho, mas não ficar calada. O assédio não acontece uma única vez. Quando não se dá um basta, ele é contínuo”, orienta a promotora Érica Canuto, do Núcleo de Apoio à Mulher Vítima de Violência Doméstica (NAMVID) do Ministério Público do Rio Grande do Norte.

As consequências para as vítimas do assédio moral e sexual no ambiente de trabalho também foram evidenciadas na audiência. Segundo a socióloga Zenilda da Silva, as marcas geralmente não são físicas. “São consequências de cunho psicológico que abalam a autoestima, causam estresse, indisposição, desconcentração e medo. Quando não se trata chega a problemas maiores como depressão e síndrome do pânico, que incapacitam a profissional porque são transtornos de ordem psíquica e isso é muito sério”, explica. A mulher que sentir esses sintomas deve procurar uma unidade de saúde para ser encaminhada ao serviço psicológico. Na Câmara Municipal, a vereadora Natália Bonavides vai propor junto com o Proqualis e à Frente Parlamentar da Mulher um plano institucional para combater e orientar sobre assédio no ambiente de trabalho, com a formação de uma comissão que possa receber possíveis denúncias das servidoras.

Texto: Cláudio Oliveira
Fotos: Marcelo Barroso

Assista a audiência pelo canal da TV Câmara: https://www.youtube.com/watch?v=BFKBLv-SDUk

Entidades culturais cobram em audiência mais incentivo para o segmento

 

Os problemas relacionados à produção cultural no município de Natal foram alvo de debate na manhã de hoje (3) na Câmara Municipal. A proposição do vereador Preto Aquino (PEN) levou representantes de diversos segmentos culturais da capital ao plenário da Casa para relatar e reivindicar mais atenção e incentivo à cultura no âmbito municipal.

A audiência também contou com apresentações musicais. Os artistas reclamaram da falta de apoio aos artistas locais e dos atrasos nos pagamentos de cachês para os músicos locais selecionados nos editais dos eventos realizados pelo Executivo, já que os pagamentos dos artistas nacional geralmente são pagos regularmente. Para esclarecer sobre isso, a diretora do Museu de Cultura Popular Djalma Maranhão, Odinelha Targino, representando a Secretaria de Cultura do Município, explicou que a contratação dos artistas ocorrem de formas distintas. “Os artistas locais, até mesmo por serem muitos, são selecionados por meio de um edital com previsão de recursos, mas o trâmite é burocrático, passa pela Controladoria e pela Secretaria de Administração para poder liberar o pagamento dentro da disponibilidade de recursos. Os artistas nacionais já recebem por meio de contrato, devido o reconhecimento e notoriedade que é questionada para o valor do contrato que é maior”, disse.

Representantes de diversos segmentos, como teatro, música, capoeira, grupos juninos e carnavalescos, entre outros, explanaram suas dificuldades para produzir cultura em Natal. Das escolas de samba e tribos de índio, a cobrança é para que a secretaria  de cultura assuma posicionamentos que venham a facilitar o trabalho desses grupos, especialmente no prazo dado pelos editais e na liberação de recursos. Diretor do Memorial da Capoeira em Cidade Nova, Nivaldo Freire (Mestre Arrepio), que comanda um grupo Cordão de Ouro com 120 alunos, explica que o segmento não costuma estar incluído nos editais, apesar de existir grupos de capoeira em todas as regiões da cidade. “É muita burocracia para ter acesso aos recursos públicos. Falta orientação de como chegar aos editais até porque não se tem edital específico para capoeira, que é uma arte popular”, reclama.

O vereador Ubaldo Fernandes (PMDB), presidente da Comissão de Cultura destacou que neste semestre o Plano Municipal de Cultura será discutido em plenário para avaliar as metas dos próximos dez anos na área. “Para que as metas enviadas pela secretaria de cultura possam ser avaliadas. A cultura é muito mais macro e podemos melhorar as metas com mais investimento e mais espaços disponíveis para as manifestações culturais”, pontuou. Além dele, os vereadores Kleber Fernandes (PDT) e Franklin Capistrano (PSB) também compareceram à audiência, além de representantes das secretarias de Educação e de Esportes da cidade. O propositor, Preto Aquino (PEN) sugeriu que uma boa iniciativa seria diversificar e distribuir melhor os eventos pelas regiões administrativas da capital. “Temos o Natal, o São João, o Carnaval, cujos pólos podem ser levados para diferentes bairros centrais nas quatro zonas da cidade, proporcionando a mesma oportunidade a todas as regiões”, propõe.
CONFIRA A AUDIÊNCIA PELO CANAL DA TV CÂMARA:https://www.youtube.com/watch?v=dto1h9zlwmo

Texto: Cláudio Oliveira
Fotos: Marcelo Barroso

Prefeitura limpa “quintal” de Rosalba e proíbe a colocação de lixo no local

Uma regalia para poucos. Enquanto a cidade está tomada por lixo, a Prefeitura de Mossoró retirou os entulhos localizados em propriedade da família Rosado, no Centro de Mossoró.

Além disso, foram afixadas placas proibindo a colocação de lixo no local.

A mesma área já tinha sido beneficiada com a operação tapa-buraco.

A vizinhança do Sítio Cantópolis agradece.

Ministra dá 5 dias para Temer apresentar explicações sobre aumento do combustível

ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, deu prazo de cinco dias para o presidente da República, Michel Temer, prestar esclarecimentos sobre o decreto do aumento dos combustíveis.

As informações serão usadas para a ministra preparar voto sobre ação do PT que considera o aumento por decreto inconstitucional. Rosa Weber é relatora da ação. O argumento central do PT é que o reajusta deveria ser feito por lei publicada 90 dias antes de o reajuste entrar em vigor.

Assinado no fim de julho pelo presidente Michel Temer, o decreto elevou as alíquotas de PIS/Cofins que incidem sobre gasolina, diesel e etanol. A ideia da equipe econômica é tentar elevar as receitas do governo em busca de fechar o ano dentro da meta fiscal, um déficit de R$ 139 bilhões.

A medida vem sendo questionada em outras instâncias da Justiça, além do STF. Na última semana, um juiz do Distrito Federal determinou a suspensão do decreto. A decisão chegou a reduzir os preços nos posto, mas o governo recorreu e obteve sentença favorável no Tribunal Regional Federal da 1ª região.

Nesta terça-feira (1º), a Justiça Federal na Paraíba suspendeu os efeitos do decreto no estado. A Advocacia-Geral da União recorreu e a decisão foi derrubada.

Aumento

Segundo o governo, a tributação sobre a gasolina subiu R$ 0,41 por litro. Com isso, a tributação mais que dobrou e custou aos motoristas cerca de R$ 0,89 para cada litro de gasolina, se levada em consideração também a incidência da Cide, que é de R$ 0,10 por litro.

A tribuntação sobre o diesel subiu em R$ 0,21 e ficou em R$ 0,46 por litro do combustível. Já a tributação sobre o etanol subiu R$ 0,20 por litro.

gasolina

Veja também