segunda-feira, 21 agosto, 2017.

Arquivos diários: 6 de agosto de 2017

Casagrande diz que jogadores brasileiros são alienados

Polêmico, como sempre, o ex-jogador e comentarista esportivo Walter Casagrande não economizou nas críticas aos jogadores brasileiros, em conversa com o técnico da seleção brasileira, Tite, que foi ao ar neste domingo, no Programa Esporte Espetacular, da Rede Globo.

“Jogadores brasileiros, na minha opinião, são alienados de tudo que acontece dentro do país. Ou não querem falar, ou não estão preocupados com isso, ou não se interessam mesmo, ou não tem capacidade para isso“.

O técnico Tite saiu em defesa dos jogadores. “Eu entendo que o atleta não é alienado. Ele tem a sua opinião, ele observa. Mas os atletas que estão aqui no Brasil, que acompanham o nosso dia-a-dia, eles têm uma noção e tem uma opinião formada…”

E você, o que acha?

Senado lança licitação de R$ 1 milhão para comprar sofás e cadeiras

E não são quaisquer cadeiras ou quaisquer sofás. A Casa presidida por Eunício Oliveira faz questão de escolher itens luxuosos: uma das poltronas descritas no edital que serão adquiridas, por exemplo, custa R$1.900. “Conta com estofamento moldado anatomicamente, revestimento de couro e espaldar alto e estruturado em concha”. O item mais barato é uma cadeira que sai por módicos R$562,50 a unidade.

Acesse a íntegra do edital aqui.

Revista Fórum 

Lava-Jato vai virar musical

 

A história da maior e mais bem sucedida operação de combate à corrupção já realizada no Brasil vai ganhar ares de Broadway. O espetáculo ‘Lava jato – o musical’ já recebeu autorização para captar R$ 706 mil e deverá chegar aos palcos em 2018.

Versão da montagem do texto “Arsênico e alfazema” – que já foi levado ao cinema em 1945 por Frank Capra, com o nome “Este mundo é um hospício” –, “Lava Jato – o musical” terá direção de Chris Matallo, coreografia assinada por Julita Machado e a produção coordenada por Judson Feitosa, que também será o narrador da trama. A escolha do elenco começará em breve.

“Estamos próximos de abrir audições. Sabemos o quanto é importante haver oportunidades de trabalho. Há muitos talentos por aí e queremos tê-los em nosso espetáculo pois será necessário, além de saber cantar e dançar, ser bom comediante”, explicou Judson, lembrando que a intenção é apresentar o espetáculo em teatros do Rio de Janeiro e São Paulo.

Ele adiantou uma das cenas mais importantes da produção: a trama começa com a chegada do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, ao Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste da cidade. Por força da Operação Lava Jato, o ex-chefe do Executivo fluminense está detido desde 17 de novembro do ano passado, acusado de ser o cabeça de uma organização criminosa que cobrava propinas e desviava recursos públicos.

“‘Lava Jato – o musical’ será uma comédia inspirada no período histórico que estamos vivendo. Portanto, esperamos que o público se divirta, reflita e tire suas próprias conclusões sobre as questões atuais do nosso país. Os artistas, através de suas obras, retratam as respectivas épocas nas quais viveram. Vale a máxima de Shakespeare: ‘O teatro é o espelho da vida'”, finalizou o produtor.

Robin Hood às avessas: Temer investe mais em empresários que em programas sociais

 

Em 2016, o Governo Federal gastou quase três vezes mais com a chamada “Bolsa Empresário” que com o Bolsa Família.

O bolsa empresário são recursos que servem para conceder créditos mais baratos, prover garantias e até socorrer empresas e setores inteiros. Esses gastos são feitos à margem do controle das metas fiscais, sem precisar de autorização do Congresso.

São usados para reduzir taxas de juros em linhas de créditos oficiais, mais baixas que as disponíveis no mercado, e aumentaram de R$ 23 bilhões em 2010 para R$ 78 bilhões no ano passado.

 

 

Deputado Souza pode atrapalhar planos de Sandra Rosado voltar à Câmara Federal

 

O deputado estadual Souza Neto (PHS) tem levado a sério o ditado que diz “quem é manco parte na frente”. Ele tem se articulado e usado seu mandato na Assembleia Legislativa do RN para mostrar serviço, em especial na região de Mossoró e Costa Branca.

Souza tem abraçado causas nobres, como a oncologia e a UERN, direcionando emendas impositivas e cobrando a liberação de recursos, além de estar percorrendo os municípios em um empenho que deixa claro que pretende alçar voos mais ousados em 2018.

Caso consiga emplacar uma candidatura a deputado federal, o ex-prefeito de Areia Branca pode interferir diretamente nos planos da vereadora Sandra Rosado que não esconde de ninguém seu descontentamento com o cargo que ocupa atualmente e sonha em voltar à Brasília.

A candidatura de Sandra, porém, precisa ser bem analisada. Em 2014, Sandra não conseguiu renovar o mandato de deputada federal e sua filha, Larissa Rosado, também não conseguiu renovar o mandato de deputada estadual. Somente este ano que as duas conseguiram novamente um mandato, Sandra como vereadora, ocupando a cadeira do filho, Lahyre Neto; e Larissa, que era suplente na Assembleia Legislativa, conseguiu assumir o mandato, graças a uma manobra política para abrir sua vaga no Legislativo estadual.

Apesar dos arranjos, o grupo de Sandra e Larissa não conseguiu reaver os cargos para os apoiadores na Prefeitura de Mossoró ou no Governo do Estado, de forma que, sem lastro, os planos ousados de Sandra podem atrapalhar inclusive a renovação do mandato de Larissa na Assembleia.

Enquanto isso, Souzinha segue comendo pelas beiradas, conquistando apoiadores e simpatizantes, se aventurando a ser um possível forte candidato à Câmara Federal.

Veja também