segunda-feira, 21 agosto, 2017.

Arquivos diários: 11 de agosto de 2017

Vereadores de Natal derrubam veto e aprovam remuneração para alimentação dos professores

Os vereadores da Câmara Municipal de Natal derrubaram, de forma unânime, veto do Executivo em uma emenda do Projeto de Lei nº 97/2016, de autoria da ex-vereadora Amanda Gurgel, que tratava da complementação financeira para alimentação dos professores da rede municipal de ensino.

O ponto em questão “estima receitas e fixa as despesas do Município de Natal para o exercício financeiro de 2017”. Esta foi uma das votações realizadas na sessão desta quinta-feira (10). Para a vereadora Nina Souza (PEN), este é um benefício dos mais importantes e que “os profissionais precisam ter isso garantido”.

Outro Projeto de Lei aprovado foi do ex-vereador Júlio Protásio e subscrito pela vereadora Ana Paula (PSDC), que dispõe sobre a impossibilidade de cancelamento de forma unilateral, por parte da administradora que esteja concedendo plano ou seguro de saúde, antes do fim do contrato de prestação de serviço em relação ao cidadão do Município do Natal.

O vereador Aldo Clemente (PMB) teve aprovado o PL que dispõe sobre a informatização da carteira de vacinação no município do Natal.

Também foram aprovados o Projeto de Lei do ex-vereador Bertone Marinho, que foi subscrito pelos vereadores Cícero Martins (PTB) e Carla Dickson (PROS), que reconhece de Utilidade Pública a “Associação Jesus Warriors Brasil”, e o Projeto da vereadora Carla Dickson (PROS), subscrita pelo presidente da Casa, vereador Ney Lopes Júnior (PSD), que institui a Semana da Cultura Evangélica no Município do Natal.

 

Texto: David Freire

Fotos: Elpídio Júnior

Terminais de auto atendimento do BB não estão funcionando em Mossoró

Um flagrante de desrespeito. Quem acordou cedo para sacar o dinheiro do Estado em Mossoró perdeu a viagem. A maior agência do Banco do Brasil na cidade, e a única a abrir antes das 9 horas da manhã, está com os terminais de auto atendimento sem funcionar desde a manhã desta quinta-feira.

Na agência, nenhum funcionário para orientar os clientes, que se dirigiam a outras agências, sem sucesso, já que só abrem às 9 horas.

20170811_082728Os servidores do Estado reclamavam na fila que se formava sem sequer uma previsão para que o serviço seja retomado. “É uma falta de respeito. O governador já demora para pagar, e quando ele resolve pagar a gente não pode sacar. Se não posso tirar o dinheiro é o mesmo de não ter recebido”.

Homem acusado de enganar pessoas com a falsa promessa de emprego é preso

As equipes de policiais civis da Delegacia Especializada em Defraudações e Falsificações (DEFD) de Mossoró e de Areia Branca, sob a coordenação dos Delegados José Vieira de Castro e Antônio Augusto de Macedo prenderam, na tarde desta quinta feira 10 de agosto um homem acusado de praticar golpes na região da Costa Branca e Mossoró.

De acordo com o Dr. José Vieira, delegado da DEFD,a pessoa de Ismar Nogueira do Nascimento com 26 anos de idade se passava falsamente por representante de empresas de energia solar passando a recrutar trabalhadores, sob a falsa promessa de oferta de empregos.

Ainda segundo o delegado,o infrator pedia uma quantia inicial de R$ 200,00 reais que seria supostamente destinada ao custeio de exames médicos admissionais.

Após a descoberta das fraudes pela população, o mesmo desapareceu da cidade de Areia Branca e não mais manteve contato com as vítimas, beneficiando-se com os valores arrecadados.

A investigação constatou que pelo menos 100 pessoas foram lesadas com a prática dos golpes. O Dr. José Vieira após concluir o inquérito solicitou da justiça o mandado de prisão preventiva do acusado que de imediato foi expedido pelo judiciário.

A autoridade policial titular da Delegacia de Defraudações afirmou que após ser preso em cumprimento a determinação da justiça, o investigado foi encaminhado a Cadeia Pública de Mossoró e irá responder por vários crimes de estelionato (artigo 171 do Código Penal). (Foto e texto: Fim da Linha)

est

‘Não tinha como duvidar’, diz mulher que perdeu quase R$ 2 mil no golpe do ‘Don Juan’

Uma mulher, de 29 anos, que perdeu quase R$ 2 mil em um golpe aplicado pela internet, conhecido como ‘Don Juan’, afirma que não teve como duvidar que estava caindo em um golpe que vem fazendo várias vítimas em todo o país. Ela, que é de Araçatuba (SP), registrou um boletim de ocorrência relatando o caso e a polícia vai investigar.

“Não tem como duvidar, depois que você cai no golpe você vê que era perfeito. Ele dizia que trabalhava como engenheiro, e trabalhava em navios. Dizia que era filho único, mandava foto da mãe, do que estava fazendo, até na missa. Tudo um perfil falso e dizia que morava em Nova York, falava até o nome da empresa que trabalhava”, afirma a mulher em entrevista ao G1, que não quis se identificar.

Segundo a mulher, o relacionamento virtual começou há dois meses por uma rede social. Após vários contatos, eles começaram a conversar apenas por WhatsApp. O suspeito dizia estar sempre viajando e, em uma das conversas, disse que iria para a Venezuela a trabalho e depois iria visitá-la no Brasil.

Já na Venezuela, o suspeito disse que como iria trabalhar em um navio, iria enviar os pertences que estava com ele para ela por uma empresa de transporte internacional. Na suposta encomenda estava notebook, dinheiro, documentos pessoais e até joias que ele teria comprado para ela.

“Ele dizia que confiava muito em mim. Me mandou até o número de rastreamento da encomenda, tinha até o peso do pacote. Você entrava no site da empresa e aparecia tudo certo, com nome dele, para onde iria. Disse que não iria levar tudo para o mar porque tinha receio”, afirma.

Depois de enviar a suposta encomenda, o suspeito disse à vítima para entrar em contato com a empresa. A vítima disse à polícia que foi convencida por uma mulher da empresa, que seria cúmplice do golpista, a depositar o dinheiro para liberar o pacote, que tinha ficado retido na alfândega. A mulher fez três depósitos, que somados deram R$ 1.750.

“Quando o pacote cai na alfândega tem de pagar mesmo o imposto, mas como era empresa terceirizada, internacional, uma moça entrou em contato comigo falando que parou na alfândega e tinha de fazer pagamento porque tinha excesso de coisas e tinha dinheiro dentro”, afirma.

A mulher só descobriu que se tratava de um golpe quando foi orientada pela mulher a fazer um novo pagamento, desta vez, de mais de R$ 4 mil. Ela não fez este último depósito e acionou a polícia.

“Ela ligou falando como tinha muito dinheiro tinha de pagar outra taxa para esse pacote chegar seguro. Se não pagasse, eu estaria fazendo lavagem de dinheiro. Foi aí que disse que não iria pagar”, afirma.

A mulher então acionou a polícia e, ao pesquisar sobre o golpe, viu que várias mulheres no país também são vítimas desse tipo de crime. “Vi uma reportagem na televisão e descobri que tem esse golpe. Converso com oito mulheres que caíram no golpe e uma delas perdeu R$ 9 mil. Agora é tomar cuidado nas redes sociais. Peguei de lição, que príncipe encantado não existe”, afirma.

golpe1

Salário mínimo subirá para R$ 979

O presidente Michel Temer sancionou, com vetos, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2018, que estipula, entre outras coisas, o aumento do salário mínimo de R$ 937 para R$ 979 – reajuste de 4,5%. Também projeta um crescimento real da economia brasileira de 2,5%, taxa básica de juros (Selic) em 9%, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 4,5% no ano e o dólar a R$ 3,40 no fim de 2018.

A LDO estabelece as metas e prioridades do governo para o ano seguinte e orienta a elaboração da lei orçamentária anual. O texto sancionado está publicado na edição de ontem do Diário Oficial da União. Na mensagem presidencial enviado ao Senado, o governo justifica que vetou alguns pontos por “contrariedade ao interesse público e inconstitucionalidade”.

Um dos vetos foi ao item que registrava que o Executivo adotaria providências e medidas, inclusive com o envio de proposições ao Legislativo, com o objetivo de reduzir o montante de incentivos e benefícios de natureza tributária, financeira, creditícia ou patrimonial. A justificativa ao veto é que “o dispositivo poderia tornar ilegal medidas de caráter concessivo que se apresentem prementes ao longo do exercício.”

Outro ponto vetado é o que previa que projetos de lei e medidas provisórias relacionadas ao aumento de gastos com pessoal e encargos sociais não poderiam ser usados para conceder reajustes salariais posteriores ao término do mandato presidencial em curso. O governo argumentou que “a limitação prejudica a negociação das estruturas salariais com os servidores dos três poderes, impondo um marco final curto para a concessão de reajustes salariais”. O texto lembra que muitas vezes reajustes são concedidos de forma parcelada em mais de um exercício fiscal.

Entenda a LDO

A LDO define as metas e prioridades do governo para o ano seguinte, orienta a elaboração da lei orçamentária anual e fixa limites para os orçamentos dos poderes Legislativo e Judiciário e do Ministério Público.

O texto sancionado mantém a meta fiscal proposta pelo governo e prevê, para 2018, um deficit primário de R$ 131,3 bilhões para o conjunto do setor público consolidado (que engloba o governo federal, os estados, municípios e as empresas estatais), sendo R$ 129 bilhões para os orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União e R$ 3,5 bilhões para o Programa de Dispêndios Globais. Esta será a primeira LDO a entrar em vigor após aprovação do teto de gastos públicos, que atrela os gastos à inflação do ano anterior, por um período de 20 anos.

Número

2,5% é o crescimento real previsto para a economia brasileira no ano que vem.dinheiro3

Veja também