sexta-feira, 24 novembro, 2017.

Arquivos diários: 1 de novembro de 2017

Sindicalista denuncia governo Rosalba por descontos indevidos em salários

A presidente do Sindicato dos Servidores do Município de Mossoró (SINDISERPUM), Marleide Cunha, utilizou sua rede social para denunciar alguns descontos indevidos realizados pela gestão Rosalba Ciarlini.

De acordo com Marleide, “de forma irregular, descontou faltas de greve de servidores ASG e merendeiras das escolas. Por que, Magali Delfino, até agora, só detectamos descontos da Secretaria de Educação, ordenadas por alguns diretores? É uma competição de quem persegue Mais? É ou não é uma gestão perseguidora? Cada ato desse será denunciado!”.

A denuncia da presidente se junta a diversas outras. Nas redes sociais pudemos detectar servidores denunciado que faltou receber vale transporte, insalubridade, grape, excedentes, etc. Até mesmo quem não participou diretamente da greve teve descontos no salário.

Durante a manhã de hoje o Sindiserpum foi recebido pelo secretário de Administração, em busca de informações sobre cobranças nos pagamentos de outubro dos servidores.

22893949_301707046996836_1245884242084159308_n

Ufersa, UERN e OAB se mobilizam em campanhas natalinas para arrecadar alimentos e brinquedos

As duas Universidades públicas de Mossoró, Ufersa e UERN, e a Subseccional local da Ordem dos Advogados do Brasil estão unidas nas campanhas “Natal Sem Fome” da Ufersa e “Meu Melhor Natal” da UERN. O lançamento da parceria foi firmada nesta terça, dia 31, durante solenidade na Reitoria da UERN com a participação do Reitor da instituição, o professor Pedro Fernandes; da professora da Ufersa, Ludimilla Carvalho, representando o Reitor José de Arimatea de Matos, e também com a presença do Presidente da OAB Mossoró, Canindé Maia. A programação também contou com a apresentação do Coral Infantil do Núcleo de Música da Ufersa e do Conservatório da UERN.

Promovida pela Ufersa há 5 anos, a campanha “Natal Sem Fome” tem o objetivo de arrecadar alimentos que serão entregues ao Lar da Criança Pobre, entidade que atende a várias famílias carentes de Mossoró. Já a campanha “Meu Melhor Natal” vem sendo desenvolvida há 20 anos pela UERN e atende a crianças carentes com a doação de brinquedos. A campanha tem como objetivo arrecadar brinquedos para distribuição entre crianças matriculadas em Unidades de Educação Infantil (UEIs) públicas, estendendo-se ainda a entidades sociais e de saúde que atendem a crianças carentes.

Além da parceria com a OAB, as campanhas natalinas das duas instituições também conta com o apoio do Colégio Mater Christi, Partage Shopping, Assufersa e Sintest/RN. O período de arrecadação, triagem e embalagem dos brinquedos será de 1º de novembro a 05 de dezembro. Já a entrega dos brinquedos com ações educativas ocorrerá de 11 a 20 de dezembro de 2017. Já a doação dos alimentos pode ser feita até o dia 15 de dezembro e a entrega ocorrerá no dia 19. O Dia D das campanhas está marcado para acontecer no dia 27 de novembro com uma grande ação social no Partage Shopping.

Os alimentos e os brinquedos podem ser doados nas instituições parceiras e nos Campi da Ufersa e UERN. (Foto: Agecom/UERN)

26309201729_c58bce6ea3_z-e1509545990668

5° Arrastão em 2017 na UBS Doutor José Holanda Cavalcante em Mossoró; cadê a prefeita?

O Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM),registrou por volta das 9:00hs da manhã desta quarta feira 01 de novembro de 2017,o 5° assalto na Unidade Básica de Saúde Dr José Holanda Cavalcante que fica localizada na Rua Erondina Cavalcante Dantas no Dom Jaime Câmara em Mossoró no Rio Grande do Norte.
Um indivíduo chegou a pé sozinho portando uma arma de fogo e aterrorizou médicos,funcionários e pacientes entrando de sala fazendo um verdadeiro arrastão.
Foi levado cerca de 12 celulares,relógios e pertences pessoais das vítimas.
As pessoas que lá se encontravam,estavam revoltadas principalmente pelo fato da prefeitura alegando contenção de despesas retirou a Guarda Municipal que fazia segurança na UBS,haja vista que durante o período em que a guarda fazia segurança no local nenhum assalto foi registrado.
Texto e foto: blog Passando na Hora
1

MPRN deflagra operação que investiga contrato de iluminação pública em Macaíba

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou na manhã desta quarta-feira (1º) a operação Alta Voltagem, que investiga um Contrato de Iluminação Pública celebrado pela Prefeitura de Macaíba e a empresa Enertec Construções e Serviços Ltda no valor atual de R$ 4.100.432,14. A ação é mais um desdobramento da operação Cidade Luz, deflagrada em 24 de julho passado pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Natal. A coletiva de imprensa foi realizada no final da manhã, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, em Candelária.

A investigação evidenciou a existência de um ajuste empresarial vocacionado a monopolizar os contratos do Município de Macaíba na área de iluminação pública, em conluio com os agentes públicos encarregados das contratações. Há indícios de superfaturamento e pagamento de propina a agentes públicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Macaíba e da Secretaria Municipal de Administração e Finanças.

A empresa Enertec vem se sagrando vencedora em todos os certames de iluminação realizados no Município de Macaíba desde o ano de 2007 e o valor da soma desses contratos firmados nos últimos dez anos é de R$ 6.802.648,77.

Ao todo, foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão, sendo dois em Natal, sete em Macaíba, um em Parnamirim, um em São Gonçalo do Amarante e um no Recife/PE; além de sete mandados de condução coercitiva dos investigados: Rawplácido Saraiva Maia, atual secretário de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Macaíba; Valdério Barbosa Vieira, atual secretário de Administração e Finanças de Macaíba, Márcio Lucas de Lima, assessor de Gabinete do prefeito de Macaíba; Alexandre Borges de Aguiar e Nelson Antônio Medeiros de Lima, funcionários da empresa Enertec em Macaíba; Antônio Felipe Pinheiro de Oliveira e Maurício Ricardo de Moraes Guerra, este último sócio da Enertec.

A decisão judicial determinou, ainda, a suspensão do exercício de qualquer função pública no Município de Macaíba dos investigados Rawplácido Saraiva Maia e Valdério Barbosa Vieira, que foram afastados dos seus cargos atuais.

A Justiça também suspendeu o Termo Aditivo do Contrato número 02/2015, que determinava sua prorrogação até 30 de janeiro de 2018.

A operação Alta Voltagem contou com a participação de 16 promotores de Justiça do MPRN, além do apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPRN (Gaeco) e do Gaeco de Pernambuco, e das polícias potiguar e pernambucana.

Operações Cidade Luz e Blackout

A operação Alta Voltagem é o segundo desdobramento da Cidade Luz, que foi deflagrada no dia 24 de julho de 2017 e descortinou esquema criminoso nos contratos de iluminação pública realizados pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos do Município de Natal (Semsur). O ex-secretário de Serviços Urbanos de Natal, Raniere Barbosa, foi afastado do cargo de presidente da Câmara Municipal de Natal. Ele ficou proibido de ir à Câmara Municipal, à Semsur e à Controladoria do Município.

Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos pelo juiz da 7ª vara Criminal de Natal e foram cumpridos com apoio da Polícia Militar nas cidades de Natal e Parnamirim, no Rio Grande do Norte, e também em Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes e ainda em Fernando de Noronha, em Pernambuco. Os gabinetes de Raniere Barbosa e da Presidência da Câmara Municipal de Natal também foram alvos dos mandados.

No dia 4 de agosto, foi a vez da operação Blackout, o primeiro desdobramento da Cidade Luz, para investigar contrato de iluminação pública da Prefeitura de Caicó, no valor de R$ 1.138.970,00. Ao todo, foram cumpridos seis mandados de prisão e 13 de busca e apreensão. Na decisão, a Justiça determinou que o ex-prefeito Roberto de Medeiros Germano, o atual secretário de Infraestrutura, Abdon Augusto Maynard Júnior; e a atual diretora do departamento de Iluminação Pública de Caicó, Ruth de Araújo Ferreira, estão proibidos de acessar qualquer prédio vinculado à Prefeitura de Caicó e a Controladoria-Geral do município. Além disso, foi proibido o contato de Roberto Germano com os demais investigados. O secretário e a diretora também foram afastados dos cargos que ocupam atualmente.

A investigação realizada pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte teve início em 11 de março de 2015, data em que foi instaurado um inquérito civil. Pelo apurado, as condutas dos participantes do esquema criminoso caracterizam crimes como peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, organização criminosa, lavagem de dinheiro, dispensa indevida de licitação, fraude aos procedimentos licitatórios e formação de cartel.

IMG_4204

Enfermeiras expõem situação de calamidade em hospitais de Mossoró e Caicó

Duas enfermeiras, que atuam no Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, e no Hospital Regional de Caicó, publicaram rm suas redes sociais o retrato do caos na saúde pública do RN, onde falta tudo, de medicamentos a telefone para a regulação de pacientes.

Nos textos, a angústia dos profissionais que assistem pacientes morrerem todos os dias por falta de condições de trabalho.

O governo Robinson entra para a história como o pior governador que o RN já teve.

Leia os relatos das enfermeiras Clara Jordany Oliveira Sá, de Mossoró, e Thalyne Dias, de Caicó.

Venho hoje aqui postar para vcs uma pequena parcela do que vem acontecendo com a Saúde Pública do RN. Passamos por isso aqui também no HRTM mas em proporções bem menores por enquanto. Eis o retrato do que vem acontecendo em Caicó-RN. Desabafo de uma servidora! (Enfa Clara Jordany Oliveira Sá)

Hospital Regional de Caicó
23:45 do dia 31/10/2017

Hoje cheguei mais uma vez à exaustão, por me sentir IMPOTENTE dentro de um ambiente onde eu deveria cuidar da saúde dos pacientes e ao invés disso estou assistindo a morte hora a hora. Ao chegar no plantão fui comunicada de que não tinham mais antibióticos para os pacientes continuar o tratamento das infecções, a UTI não estava mais com condições mínimas de abastecimento de medicamentos para receber pacientes. Dois dos pacientes internado com abdômen agudo (em urgência cirúrgica) tiveram suas cirurgias suspensas às 20h por falta de anestésico. Não tínhamos telefone para regular os pacientes para o hospital de referência, há dias está cortado por falta de pagamento, ao tentar ligar do meu celular descubro que os telefones do outro hospital também estão cortados. O que fazer? Uma vez que o estado geral dos pacientes se agravava a cada hora e o Estado nos manda “regular” o paciente antes de encaminhá-lo. Eu tinha uma escolha: ou assistia a mais duas mortes ou encaminhava os pacientes, correndo o risco do outro colega que estava em outra cidade não receber o paciente pelas mesmas “falta de tudo”.
Ouvi um médico hoje, que trabalha há 24 anos como servidor público no estado do Rio Grande do Norte, dizer que nunca passou por situação tão caótica como esta. Imagino eu nos meus primeiros 4 anos como servidora da SESAP-RN onde iremos chegar? E sabem o que é pior? É o paciente, potencialmente, cada um de nós que dependemos do SUS, ficar dentro de um jogo de empurra empurra até o último minuto de vida. Ninguém assume a responsabilidade. Seríamos todos cúmplices ou vítimas da “falta de tudo”?

Enfa. Thalyne Dias

#caosnasaudeRN #cadeomeusalario #piedadegovernador #opovosósofre #calamidadepublica

Veja também