domingo, 21 janeiro, 2018.

Arquivos diários: 21 de dezembro de 2017

Câmara autoriza Prefeitura de Mossoró a colocar no SPC/Serasa devedores de impostos

Na sessão ordinária que antecedeu o recesso parlamentar, a Câmara Municipal de Mossoró aprovou esta semana o projeto de Lei do Executivo que autoriza a Secretaria Municipal de Fazenda e a Procuradoria Geral do Município a incluírem devedores de IPTU, multas de trânsito, ISS e quaisquer outras taxas municipais no SPC ou Serasa, caso o pagamento não seja feito em cartório.

A partir da sanção da lei, todas as pessoas que estiverem em dívida com a Prefeitura de Mossoró, a partir de R$ 500, podem ter o nome negativado.

A proposta foi enviada pela Prefeitura de Mossoró, para a Câmara Municipal e teve aprovação de toda bancada governista. A oposição, formada por apenas 7 parlamentares, protestou, mas não tinha votos suficientes para barrar o projeto.

Do blog do Saulo Vale

171221134645

233 mortes violentas em Mossoró Cidade Abandonada

Um homem foi executado por volta das 17:30hs desta quinta feira 21 dezembro 20117, na rua Raimundo Cantídio, no bairro Teimosos, no grande Alto de São Manoel. A polícia está isolando o local neste momento aguardando a perícia no local. A lei do silencio impera e ninguém fala nada à respeito do crime. A vítima identificada como Francisco Geanderson de Oliveira, 24 anos foi alvejado e executado na calçada de uma residência.

Texto e foto: blog Passando na Hora

25673358_1758089087543298_20652056_o

Rosalba acabou com a segurança da cidade

11 BICs, Ronda Escolar, Operação Integração, diárias para 140 policiais de folga ajudaram na segurança das ruas: esses são apenas alguns serviços abertos na gestão Francisco José Jr., dizimados pela atual prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarline Rosado (PP), mas por quê?

De acordo com o artigo 144 da Constituição Federal, a segurança pública é dever do Estado brasileiro, direito e responsabilidade de todos. Ou seja, é uma responsabilidade compartilhada entre os governos federal, estadual e municipal. Ela é exercida para a proteção das pessoas e do patrimônio, bem como a preservação da ordem pública.

Sendo a segurança pública uma responsabilidade de todos, cada esfera do governo tem o compromisso de realizar investimentos para melhorar esta área. É preciso lembrar que a segurança pública faz parte da organização administrativa. Por isso, a gestão em cada esfera política é responsabilidade dos chefes do executivo, ou seja, do Presidente, dos governadores e dos prefeitos.

Em Mossoró, desde janeiro vivemos um retrocesso na área de segurança pública, por pura picuinha política. Quando assumiu à Prefeitura, Rosalba Ciarline, que já havia conseguido vários fracassos na segurança enquanto governadora, retirou as 11 Base Integradas Cidadãs das ruas de Mossoró, o que deixou, também, órfão o cidadão de um projeto que foi premiado nacionalmente. As BICs eram bases de apoio para os policiais que faziam rondas na localidade. A Prefeitura entrava com a estrutura e as diárias dos policiais que estavam de folga, dando, assim, mais conforto ao popular, que tinha uma maior sensação de segurança, pois contava com viaturas exclusivas para aquela região de atuação das BICs.

Outro projeto criado pelo então prefeito Francisco José Jr que merece total destaque é a Operação Integração. Uma verdadeira força-tarefa era montada para que as ações de segurança ocorressem simultaneamente em vários bairros da cidade. Vinte e cinco viaturas e oito motocicletas davam apoio ao efetivo extra que já estava nas ruas da cidade realizando rondas, patrulhamentos e abordagens.

O secretário de Segurança Pública e Defesa Civil da época, coronel Alvibá, relatou como era realizada a Operação Integração: “Nossa intenção é combater o crime e proporcionar mais segurança ao cidadão mossoroense, principalmente nos bairros que consideramos áreas de crise, onde são registrados maiores índices de criminalidade”. Ou seja, era a Prefeitura fazendo a sua parte pela segurança, que hoje soma 234 mortes violentas. A Operação Integração contava com o apoio de policiais do 2º e do 12º Batalhão de Polícia Militar, Comando da Polícia Rodoviária Estadual (CPRE), Companhia Independente de Proteção Ambiental (CIPAM) e Esquadrão de Polícia Montada (EPMon).

Dentre os projetos criados para a área de segurança, que também foram excluídos pelo governo Rosalba, havia o Ronda Escolar, que teve números expressivos na diminuição de ocorrências nas escolas de Mossoró. Hoje, o que se vê são arrastões e mais arrastões as unidades.

Logo quando assumiu o governo, uma das primeiras ações da prefeita Rosalba foi retirar os guardar civis das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Após pressão da população e inúmeros roubos, acabou colocando-os de volta nas unidades.

A gestão Francisco José Jr. nomeou mais de 100 guardas municipais, para irem as ruas ajudar na segurança da população. Até agora, na área de segurança, a prefeita Rosalba não exibiu projetos e muito menos realizou nomeações para a área.

O ano está acabando e o que vemos é uma cidade amedrontada, com inúmeras mortes e o que mais parece é que a política está acima do bem-estar da população. Enquanto a Prefeitura não exibe projetos, o cidadão se sente cada vez mais amedrontado de ir as ruas.

16855902812_fa10065d90_zWhatsApp Image 2016-10-14 at 10.59.54 (4)

Com influência do La Niña, verão começa hoje com previsão de chuvas

O verão, que começa hoje (21) às 14h28, deve ter chuvas regulares na maior parte do país. Entretanto, a estação terá influência do fenômeno La Niña de intensidade fraca, o que pode alterar um pouco as condições climáticas, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

O verão é caracterizado, normalmente, por temperaturas elevadas em todo o país e com mudanças rápidas nas condições de tempo, com chuvas e ventos fortes, queda de granizo e raios, em todas as regiões do Brasil. Com a presença do La Niña, pode ocorrer chuva mais contínua nas regiões Centro-Oeste e Sudeste; chuva acima do normal nas regiões Norte e Nordeste e irregularidade na distribuição da chuva na Região Sul.

Quanto a temperatura, a previsão do Inmet é que fique acima do normal na Região Sul, normal a abaixo do normal nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, e dentro do normal nas regiões Nordeste e Norte do país.

O La Niña é o resfriamento das águas do Oceano Pacífico. Segundo o Inmet, esse resfriamento vem sendo observado desde agosto e indica a permanência do fenômeno pelo menos até março de 2018.

O prognóstico do verão apresentado pela Inmet aponta ainda que a temperatura da água do Atlântico Sul também esteve mais fria nos últimos meses, enquanto no Atlântico Norte observam-se temperaturas mais quentes. “Caso as duas condições se mantenham, poderá ocorrer uma condição chamada de dipolo positivo do Atlântico Tropical, o que é desfavorável às chuvas no norte das regiões Norte e Nordeste”, informa o instituto.

O verão termina às 13h15 do dia 20 de março de 2018.

Região Norte

Com o verão, há uma maior concentração de chuvas na Região Norte. Mas, na estação que começa hoje, a distribuição das chuvas apresentará irregularidades, considerando a influência do La Niña. A previsão do Inmet é de déficit de chuvas para o oeste do Amazonas e Acre e chuvas em torno da média para a parte mais central do Amazonas, com tendência de índices acima da média para o sudeste do Amazonas.

No litoral do Pará, chove aproximadamente 28 dias em cada mês, com possibilidades de ocorrer máximos extremos de precipitação, incluindo o leste do Amapá. No sul e centro do Pará e no Tocantins persiste o período chuvoso, que se iniciou no mês de novembro, ocorrendo chuvas mais intensas e frequentes. Nas cidades a oeste do Pará, as chuvas poderão ficar abaixo da média em janeiro, entretanto, a frequência e intensidade aumentará nos meses de fevereiro e março.

Em Roraima, o verão é caracterizado por um período seco.

Na Região Norte, a variação das temperaturas mínimas, em média, oscilará em torno de 19ºC a 24ºC, enquanto que as máximas variarão de 28ºC a 33ºC.

Região Nordeste

Segundo o Inmet, haverá chuva no semi-árido do Nordeste, já em dezembro, diferente do que aconteceu nos verões dos últimos cinco anos, que foram mais secos. Embora as temperaturas do Atlântico não estejam favoráveis, devido à persistência do fenômeno La Niña de fraca intensidade, existe a perspectiva de chuvas ligeiramente acima da média no norte e chuvas em torno da média nas demais áreas.

As temperaturas serão elevadas. As máximas poderão ficar acima de 35ºC, ocorrendo em algumas localidades valores próximos a 40ºC, e as mínimas entre 20ºC e 25ºC. Em algumas áreas, principalmente na Bahia, poderão ocorrer mínimas em torno de 18ºC.

De acordo com o Inmet, a faixa litorânea que vai de Natal a Aracajú continua no seu período seco, apesar de haver um aumento nos volumes de chuvas em relação aos últimos meses. A população nessa região vive o seu período mais quente do ano, com máximas superiores a 30ºC, e mínimas entre 22 e 27ºC.

Região Centro-Oeste

Neste início de verão, a Região Centro-Oeste tem características idênticas ao final da primavera, com ocorrência de pancadas de chuvas e ventos fortes, raios e granizo. Segundo o Inmet, com o decorrer da estação, essas condições deverão se modificar, isto é, com chuva mais contínua e com queda de temperatura, devido à influência da umidade que vem da Amazônia.

Neste período, a temperatura mínima, em média, em toda região, vai variar entre 19ºC e 24ºC; no Distrito Federal, a mínima extrema será em torno de 16ºC no Distrito Federal. Já a temperatura máxima ficará, em média, entre 27ºC e 31ºC; com máxima extrema em torno de 39ºC no Mato Grosso do Sul.

Região Sudeste

De acordo com a previsão do Inmet, o trimestre na Região Sudeste será marcado por chuvas intensas, acompanhadas de rajadas de ventos e, por vezes, com queda de granizo. Normalmente essas chuvas são intercaladas com a passagem de frentes frias, que ainda influenciam o clima, principalmente ao leste da região. A massa de ar quente e úmida domina nesta época, contribuindo para a elevação das temperaturas e formação de áreas de instabilidade no período da tarde.

Para Minas Gerais, principalmente no centro-norte e leste do estado, o Inmet alerta que a ocorrência de veranico é comum, em meados de janeiro e durante o mês de fevereiro. São períodos de dias consecutivos sem chuva e com temperatura máximas elevadas.

Região Sul

Uma das características marcantes da influência do La Niña na Região Sul é a má distribuição e irregularidade das chuvas. Portanto, para este verão, o Inmet espera chuvas irregulares e mal distribuídas, como já vem sendo observado nos últimos meses, em toda a região. Com isto, podem ocorrer chuvas fortes, com trovoadas e granizo, em períodos curtos de tempo, intercalando com períodos de vários dias sem precipitação.

As variações da umidade atmosférica, juntamente com a presença do La Nina, devem influenciar na redução dos padrões de chuva. A redução das chuvas neste último mês, juntamente com o aumento da evaporação, confirma a possibilidade de déficit hídrico no verão sulista. “Frente a esta situação, alerta-se para, dentro do possível, maiores cuidados com as reservas hídricas”, alerta o Inmet.

O instituto meteorológico alerta ainda que, pelo fato de a evaporação ser maior nos meses de verão, isso pode acarretar problemas para a agricultura. As chuvas, na maioria das vezes, devem ser ocasionadas por instabilidades na atmosfera, favorecidas pelo forte aquecimento durante os dias.

Já as temperaturas tendem a ficar acima do padrão normal. “Em anos de La Niña, normalmente a tendência é dos extremos de temperatura se acentuarem”, informa o Inmet.. As temperaturas médias mínimas devem variar entre 12°C no Planalto Sul de Santa Catarina e 21°C no oeste catarinense. E as médias máximas ficarão entre 22 °C na região serrana de Santa Catarina e 32 °C no oeste do Paraná.

Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil

la_nina-1509321

232 mortes violentas em Mossoró Cidade Abandonada

O Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM), registrou a morte violenta de número 232 na manhã desta quinta feira 21 de dezembro de 2017 em Mossoró no Rio Grande do Norte.
A ação criminosa ocorreu próximo a Praça Wilma Maia.
A vítima identificada como o presidiário do semi-aberto Alexsandro Fernandes Cunha,que estava em liberdade graças ao indulto de natal 38 anos foi morta a tiros.

Alexsandro trabalhava durante o dia e anoite se recolhia à Penitenciária Mário negócio.

De acordo com as primeiras informações a vitima estava cumprindo pena de ter matado sua esposa Ana Patricia de Albuquerque a facadas no dia 26/11/2008.
Alexsandro que não morava no bairro, teria ido visitar a casa que o mesmo prentendia vender, quando foi surpreendido pelos atiradores que chegaram e efetuaram vários disparos.

Uma ambulância ALFA com suporte avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192),foi acionada e constatou o óbito.
A Polícia Militar isolou o local de crime até a chegada do Instituto Técnico-Científico de Perícia ITEP,que removeu o corpo para a sede do órgão.
Texto e foto: blog Passando na Hora
alexsandro

Veja também