domingo, 21 janeiro, 2018.

Arquivos diários: 27 de dezembro de 2017

Prefeito de Nísia Floresta é vítima de sequestro-relâmpago e perde o carro para bandidos

Do vereador de Nísia Floresta, Luiz Henrique, sobre o sequestro-relâmpago do prefeito Daniel Marinho:

img_2375

Do blog de Thaisa Galvão

Policial da Força Nacional é baleada ao reagir a assalto em Natal

Dois agentes da Força Nacional – que estão em Natal para suprir a ausência de policiamento ostensivo nas ruas da cidade – reagiram a um assalto e trocaram tiros com bandidos na madrugada desta quarta-feira (27) no bairro de Lagoa Seca, na Zona Leste. No tiroteio, uma policial foi baleada de raspão na cabeça. Um dos bandidos também foi atingido e socorrido, e outros dois assaltantes foram presos. Uma arma foi apreendida.

Na tarde desta quarta (27), os policiais militares irão se reunir em assembleia para definir os rumos do movimento.

A policial ferida tem 44 anos e é cabo da PM do Mato Grosso do Sul. O outro policial também é cabo. Ele tem 33 anos e é lotado na Paraíba.

Segundo informações do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), os dois estavam a pé e não usavam farda. Eles caminhavam pela Av. Alexandrino de Alencar com destino à Academia de Polícia, onde estão sediados, quando três homens armados se aproximaram em um carro e anunciaram o assalto.

A policial ferida tem 44 anos e é cabo da PM do Mato Grosso do Sul. O outro policial também é cabo. Ele tem 33 anos e é lotado na Paraíba.

No Rio Grande do Norte, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros estão fora das ruas faz uma semana em protesto contra o atraso dos salários e falta de condições de trabalho. A Polícia Civil também participa do movimento e trabalha em regime de plantão.

Por G1 RN – Foto: PM/Divulgação

arma

Entenda o que o governo Rosalba cortou na área da segurança

11 BICs, Ronda Escolar, Operação Integração, diárias para 140 policiais de folga ajudaram na segurança das ruas: esses são apenas alguns serviços abertos na gestão Francisco José Jr., dizimados pela atual prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarline Rosado (PP), mas por quê?

De acordo com o artigo 144 da Constituição Federal, a segurança pública é dever do Estado brasileiro, direito e responsabilidade de todos. Ou seja, é uma responsabilidade compartilhada entre os governos federal, estadual e municipal. Ela é exercida para a proteção das pessoas e do patrimônio, bem como a preservação da ordem pública.

Sendo a segurança pública uma responsabilidade de todos, cada esfera do governo tem o compromisso de realizar investimentos para melhorar esta área. É preciso lembrar que a segurança pública faz parte da organização administrativa. Por isso, a gestão em cada esfera política é responsabilidade dos chefes do executivo, ou seja, do Presidente, dos governadores e dos prefeitos.

Em Mossoró, desde janeiro vivemos um retrocesso na área de segurança pública, por pura picuinha política. Quando assumiu à Prefeitura, Rosalba Ciarline, que já havia conseguido vários fracassos na segurança enquanto governadora, retirou as 11 Base Integradas Cidadãs das ruas de Mossoró, o que deixou, também, órfão o cidadão de um projeto que foi premiado nacionalmente. As BICs eram bases de apoio para os policiais que faziam rondas na localidade. A Prefeitura entrava com a estrutura e as diárias dos policiais que estavam de folga, dando, assim, mais conforto ao popular, que tinha uma maior sensação de segurança, pois contava com viaturas exclusivas para aquela região de atuação das BICs.

Outro projeto criado pelo então prefeito Francisco José Jr que merece total destaque é a Operação Integração. Uma verdadeira força-tarefa era montada para que as ações de segurança ocorressem simultaneamente em vários bairros da cidade. Vinte e cinco viaturas e oito motocicletas davam apoio ao efetivo extra que já estava nas ruas da cidade realizando rondas, patrulhamentos e abordagens.

O secretário de Segurança Pública e Defesa Civil da época, coronel Alvibá, relatou como era realizada a Operação Integração: “Nossa intenção é combater o crime e proporcionar mais segurança ao cidadão mossoroense, principalmente nos bairros que consideramos áreas de crise, onde são registrados maiores índices de criminalidade”. Ou seja, era a Prefeitura fazendo a sua parte pela segurança, que hoje soma 234 mortes violentas. A Operação Integração contava com o apoio de policiais do 2º e do 12º Batalhão de Polícia Militar, Comando da Polícia Rodoviária Estadual (CPRE), Companhia Independente de Proteção Ambiental (CIPAM) e Esquadrão de Polícia Montada (EPMon).

Dentre os projetos criados para a área de segurança, que também foram excluídos pelo governo Rosalba, havia o Ronda Escolar, que teve números expressivos na diminuição de ocorrências nas escolas de Mossoró. Hoje, o que se vê são arrastões e mais arrastões as unidades.

Logo quando assumiu o governo, uma das primeiras ações da prefeita Rosalba foi retirar os guardar civis das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Após pressão da população e inúmeros roubos, acabou colocando-os de volta nas unidades.

A gestão Francisco José Jr. nomeou mais de 100 guardas municipais, para irem as ruas ajudar na segurança da população. Até agora, na área de segurança, a prefeita Rosalba não exibiu projetos e muito menos realizou nomeações para a área.

O ano está acabando e o que vemos é uma cidade amedrontada, com inúmeras mortes e o que mais parece é que a política está acima do bem-estar da população. Enquanto a Prefeitura não exibe projetos, o cidadão se sente cada vez mais amedrontado de ir as ruas. (Republicada a pedidos)

16855902812_fa10065d90_z

Mega da Virada pagará R$ 280 milhões a quem acertar as seis dezenas

Quem acertar os seis números da Mega da Virada poderá receber um prêmio de R$ 280 milhões, segundo estimativa da Caixa Econômica Federal. O sorteio será no dia 31 de dezembro, e as apostas poderão ser feitas em todas as casas lotéricas do país até as 14h (horário de Brasília) do mesmo dia. Pessoas físicas que são correntistas da Caixa podem fazer as apostas por meio do Internet Banking.

O valor da aposta mínima, que é de seis números, é R$ 3,50. De acordo com a Caixa, quem faz a aposta mínima tem uma probabilidade de acerto de 1 para 50.063.860. Para acertar a quina, essa proporção cai para 1 em 154.518. Já a probabilidade de acerto da quadra fica em 1 para 2.332.

Quem quiser fazer a aposta máxima, que é de 15 números, terá de desembolsar R$17.517,50. Nesse caso, a probabilidade de acerto dos seis números é de 1 para 10.003. No caso da quina, as chances de acerto são de 1 para 370. Já a da quadra fica em 1 para 37.

O primeiro sorteio da Mega da Virada foi feito em 2009, quando dois ganhadores dividiram R$ 144,9 milhões. Em 2016, seis ganhadores dividiram o prêmio, no valor de R$ 220,9 milhões. De acordo com a Caixa, as apostas tinham sido feitas em Salvador (BA), Fortaleza (CE), Trizidela do Vale (MA), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS) e Fazenda Vilanova (RS).

adsc_0018

Aguardando cirurgias eletivas, pacientes são informados do ‘Pingo da Mei Dia’

Caos na segurança e na saúde de Mossoró. Desde janeiro centenas de pessoas aguardam cirurgias eletivas na cidade, como o agricultor Marcondes Gomes da Silva, de 41 anos; o jovem Hildislânio Rodrigues Fernandes, de 22 anos; Petranila do Nascimento, de 77 anos; a adolescente Renata Alexandre de Aquino, de 13 anos e a dona de casa Cíntia Tereza, de 39 anos: apenas alguns símbolos dessa incansável luta.

Hoje eles foram surpreendidos com a notícia da data do Pingo da Mei Dia, por parte de assessores e meios de comunicação pagos pela PMM. Esperam serem lembrados tal como o evento milionário que a Prefeitura já divulga.

As farmácias do município, as UPAs sem segurança e sem médicos, a falta de ortopedia, o raio-x milionário encostado também aguardam se tornarem notícia da atual gestão.

12814805_1571181646542495_6610563660807668891_n

Veja também