domingo, 17 dezembro, 2017.
Mossoró

Mossoró

Terceirizados da Prefeitura de Mossoró não terão dinheiro para Natal e Ano Novo

Há meses sem receber, os servidores terceirizados da Prefeitura de Mossoró não terão o que comemorar neste fim de ano. De acordo com uma fonte ouvida pelo RN Mais, informações oriundas da Secretaria de Administração e Finanças, é que não haverá pagamento para os servidores este mês.

Eles aguardam um posicionamento da prefeita Rosalba Ciarlini, que até agora tem se esquivado de comentar a situação.

rosalba-prefeita

Criminosos arrombam shopping durante a madrugada em Mossoró

Segundo a Polícia Militar, o ataque ao Partage Shopping, localizado no Bairro Nova Betânia em Mossoró/RN, aconteceu durante a madrugada de hoje, sexta feira 15 de dezembro.

Ainda de acordo com a PM pelo menos cinco homens, fortemente armados participaram da ação criminosa, contra loja do estabelecimento comercial.

Os criminosos chegaram por volta das 03h00min, quebraram as portas de vidros de uma das entradas do Shopping, invadiram o prédio e foram direto para uma loja de jóias, onde fizeram um rapa e fugiram.

Durante a fuga pela RN 015 que liga Mossoró à Baraúna, o grupo criminoso espalhou vários grampos na rodovia, para evitar perseguição policial.

A Polícia Militar foi acionada, realizou diligências, mas até o momento não conseguiu localizar os criminosos. Uma das viaturas da PM teve os pneus furados pelos grampos espalhados na estrada.

A direção do Partage Shopping ainda não se pronunciou sobre o ocorrido. Os donos da loja que foi violada ainda não divulgaram o que foi roubado do estabelecimento. Esta é a segunda vez que bandidos atacam o Partage Shopping e roubam loja de jóais.

Texto e fotos: blog Fim da Linha

82e2d473c400004f5a571b531aefd38c 951c4e7ffe02295650e05ba095994566 a3dc4816b637df7d7cfc9261904d7238 c15e7bf8c638040c84762d443a9ca457

 

226 mortes violentas em Mossoró

Uma equipe do ALFA do SAMU com Suporte Avançado, junto com uma equipe da Polícia Militar do 12°BPM, foram deslocados para a BR 110, por volta das 12:55hs desta sexta feira 15 dezembro 2017, informando que uma pessoa estaria ferida por disparos de arma de fogo, em frente a uma parada de ônibus e um bar, localizado as margens da BR saída para Areia Branca no bairro Costa e Silva. SAMU chegando ao local constatou o óbito.
De acordo com as primeiras informações a vítima identificada como  Erick Jonh Ferreira de Souza conhecido como “Capita” foi perseguido por dois indivíduos em uma moto, ele correu até o interior do bar onde foi executado. Uma mulher que presenciou o crime passou mal e teve que ser levada pelo SAMU para a UPA do São Manoel. Os atiradores fugiram em sentido ignorado. Essa é a morte violenta 226º em 2017. Mais uma que será ser investigada pela equipe da DEHOM (Delegacia Especializada em Homicídios e Proteção à Pessoa de Mossoró).

Texto e foto: blog Passando na Hora

capita

 

Conheça a história de Santa Luzia, padroeira de Mossoró

Santa Luzia (ou Santa Lúcia), cujo nome deriva do latim, é muito amada e invocada como a protetora dos olhos, janela da alma, canal de luz.

Conta-se que pertencia a uma família italiana e rica, que lhe deu ótima formação cristã, ao ponto de Luzia ter feito um voto de viver a virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe queria vê-la casada com um jovem de distinta família, porém pagão. Ao pedir um tempo para o discernimento foi para uma romaria ao túmulo da mártir Santa Ágeda, de onde voltou com a certeza da vontade de Deus quanto à virgindade e quanto aos sofrimento por que passaria, como Santa Ágeda.

Vendeu tudo, deu aos pobres e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa. Santa Luzia, não querendo oferecer sacrifício ao deuses e nem quebrar o seu santo voto, teve que enfrentar as autoridades perseguidoras e até a decapitação em 303, para assim testemunhar com a vida, ou morte o que disse: “Adoro a um só Deus verdadeiro, e a ele prometi amor e fidelidade”.

Somente em 1894 o martírio da jovem Luzia, também chamada Lúcia, foi devidamente confirmado, quando se descobriu uma inscrição escrita em grego antigo sobre o seu sepulcro, em Siracusa, Ilha da Sicília. A inscrição trazia o nome da mártir e confirmava a tradição oral cristã sobre sua morte no início do século IV.

Mas a devoção à santa, cujo próprio nome está ligado à visão (“Luzia” deriva de “luz”), já era exaltada desde o século V. Além disso, o papa Gregório Magno, passado mais um século, a incluiu com todo respeito para ser citada no cânone da missa. Os milagres atribuídos à sua intercessão a transformaram numa das santas auxiliadoras da população, que a invocam, principalmente, nas orações para obter cura nas doenças dos olhos ou da cegueira.

Diz a antiga tradição oral que essa proteção, pedida a santa Luzia, se deve ao fato de que ela teria arrancado os próprios olhos, entregando-os ao carrasco, preferindo isso a renegar a fé em Cristo. A arte perpetuou seu ato extremo de fidelidade cristã através da pintura e da literatura. Foi enaltecida pelo magnífico escritor Dante Alighieri, na obra “A Divina Comédia”, que atribuiu a santa Luzia a função da graça iluminadora. Assim, essa tradição se espalhou através dos séculos, ganhando o mundo inteiro, permanecendo até hoje.

Luzia pertencia a uma rica família de Siracusa. Sua mãe, Eutíquia, ao ficar viúva, prometeu dar a filha como esposa a um jovem da Corte local. Mas a moça havia feito voto de virgindade eterna e pediu que o matrimônio fosse adiado. Isso aconteceu porque uma terrível doença acometeu sua mãe. Luzia, então, conseguiu convencer Eutíquia a segui-la em peregrinação até o túmulo de santa Águeda ou Ágata. A mulher voltou curada da viagem e permitiu que a filha mantivesse sua castidade. Além disso, também consentiu que dividisse seu dote milionário com os pobres, como era seu desejo.

Entretanto quem não se conformou foi o ex-noivo. Cancelado o casamento, foi denunciar Luzia como cristã ao governador romano. Era o período da perseguição religiosa imposta pelo cruel imperador Diocleciano; assim, a jovem foi levada a julgamento. Como dava extrema importância à virgindade, o governante mandou que a carregassem à força a um prostíbulo, para servir à prostituição. Conta a tradição que, embora Luzia não movesse um dedo, nem dez homens juntos conseguiram levantá-la do chão. Foi, então, condenada a morrer ali mesmo. Os carrascos jogaram sobre seu corpo resina e azeite ferventes, mas ela continuava viva. Somente um golpe de espada em sua garganta conseguiu tirar-lhe a vida. Era o ano 304.

Para proteger as relíquias de santa Luzia dos invasores árabes muçulmanos, em 1039, um general bizantino as enviou para Constantinopla, atual território da Turquia. Elas voltaram ao Ocidente por obra de um rico veneziano, seu devoto, que pagou aos soldados da cruzada de 1204 para trazerem sua urna funerária. Santa Luzia é celebrada no dia 13 de dezembro e seu corpo está guardado na Catedral de Veneza, embora algumas pequenas relíquias tenham seguido para a igreja de Siracusa, que a venera no mês de maio também.

DSC_7526

Sesed monta esquema especial para festa da padroeira de Mossoró

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) preparou um esquema especial para a festa de Santa Luzia, padroeira da cidade de Mossoró, região Oeste do Rio Grande do Norte.

Nos dois principais eventos, a Motomaria e procissão, que ocorrem, respectivamente, nesta terça-feira (12) e quarta-feira (13), a Polícia Militar atuará com efetivo extra através de diárias operacionais e também com apoio dos grupos táticos operacionais.

A população ainda contará com a presença de uma equipe da Polícia Civil que ficará em uma unidade da Delegacia Móvel, que estará posicionada em frente à Catedral da Cidade. Nesta unidade, os cidadãos poderão registrar boletins de ocorrência relacionados a fatos ocorridos durante as festividades.

A Sesed também instalará a Plataforma de Observação Elevada (POE) nas proximidades do evento.

000000-Procissão-de-Santa-Luzia11

Veja também