Fazendo festa em Tibau, prefeita esquece que Mossoró pode ficar sem médicos nas UPAs

Devendo os meses de outubro, novembro e dezembro de 2017 a cooperativa médica que é responsável pelo atendimento às Unidades de Pronto Atendimento de Mossoró (UPAs), a probabilidade é que a Prefeitura de Mossoró, a partir de 1o de fevereiro, não tenha mais estes profissionais para atendimento ao público.

Com o início do inverno onde aumentam os números de atendimentos devidos a viroses e afins, a situação é alarmante. A Cooperativa SAMA (Serviços de Assistência Médica e Ambulatorial), através de memorando, informa ainda que acionou o setor juridico para tratar da inadimplência e, caso o Município não honre com os compromissos, a cooperativa irá paralisar todas as atividades nas três unidades e o expediente forense no SVO.

A SAMA atua nas UPAs com nove médicos, sendo três profissionais por turno em cada unidade, além do atendimento no SVO.

Enquanto isso, a prefeita Rosalba Ciarline segue no ritmo de festas pelo litoral. Final de semana passado se reuniu a vereadora Sandra Rosado em sua mansão, onde recebeu vereadores e deputados estaduais já visando as eleições 2018. Sandra, aliás, é condenada a mais de 9 anos de prisão e está livre graças a recursos.

A cidade vive tempos de caos administrativo, onde nas Unidades Básicas de Saúde faltam até luvas para procedimentos, diabéticos aguardam insulina e a insegurança segue reinando em números assustadores.

Do Mossoró Hoje (www.mossorohoje.com.br)

UPA-Mossoró

Deixe uma resposta