Mulher é morta a tiros no Santa Delmira, em Mossoró

O Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM), registrou o 5° crime de homicídio de 2018 no final da noite desta quinta feira 11 de janeiro em Mossoró no Rio Grande do Norte. A ação criminosa aconteceu na rua José Negócio de Almeida e Silva, no Parque das Rosas do Santa Delmira. De acordo com informações repassadas pelo Cabo Silva Belo que primeiro chegou na ocorrência, a vítima identificada como: Amanda Luana dos Santos 21 anos de idade, foi executada com três tiros de revolver dentro de casa, em sua cama, por dois indivíduos que chegaram em uma moto e invadiram a residência pulando o muro.

Ainda segundo informações, a vítima se encontrava na cama quando seus algozes chegaram e mandaram que as pessoas que se encontravam na casa, uma prima e uma criança correr e efetuaram disparos na região da cabeça. A Perícia Técnica acredita que o crime foi planejado. Os criminosos entraram na residência onde estava a vítima, por uma casa conjugada que está desabitada, haja vista que na parte externa de outra casa de esquina, no quintal foi encontrado um chaveiro com várias chaves e uma delas abriu o portão da casa vizinha colada com a da vítima. Um mistério a ser esclarecido. O porque o cachorro que se encontrava no local não latiu com a chegada dos assassinos.

A polícia acredita que eles premeditaram o crime, e sabiam da existência do cão, e evitaram passar pelos fundos da casa da vítima. Na fuga acredita-se que eles deixaram as chaves cair, na terceira casa de esquina, onde haviam cadeiras para facilitar pular o muro, e a cerca elétrica cortada. Dr. Roberto Moura delegado de plantão colheu informações e deverá repassar relatório para a DHPP (Delegacia Especializada em Homicídio e Proteção à Pessoa), que deverá investigar o por quê daquela chave ali se a casa estava para alugar. A Polícia acredita que os criminosos entraram por ela, praticaram o crime e fugiram pelos fundos da casa de esquina. A Polícia Militar isolou local de crime até a chegada da equipe do Instituto Técnico-Científico de Perícia ITEP, que após entender a dinâmica do crime,  removeu o corpo para a sede do órgão. Dr. Otávio Domingos, disse ser possível que ela nem percebeu os elementos ou o elemento efetuou os disparos. Poderia até está dormindo.

Texto e foto: blog Passando na Hora

a1

Deixe uma resposta