Os servidores de Mossoró estão trabalhando com uma arma na cabeça e a Prefeitura lavou as mãos

A denúncia foi feita pela presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Mossoró, Marleide Cunha, em entrevista ao Jornal da Tarde, na Rádio Rural.

Quase que cotidianamente, há relatos de assaltos a escolas e unidades de saúde do município, inclusive em horário de expediente. Esta situação tem afetado a rotina de trabalho nas unidades, e o clima de tensão tomou conta dos profissionais. “É assalto por cima de assalto, o servidor está o tempo todo com arma na cabeça e a gente não vê a Prefeitura tomando providência nenhuma”, afirmou a presidente do Sindiserpum.

Segundo Marleide, a questão da insegurança nas unidades do município já foi pauta de audiência com a Prefeitura de Mossoró, no entanto, a atitude da gestão municipal é se esquivar do problema. “A prefeitura diz que a violência é um problema do país inteiro, complexo, é do Governo do Estado mas não é essa a resposta”, e completou “É uma sensação terrível. Os servidores estão adoecendo, não tendo condição, com medo de ir trabalhar e a gente não vê uma atitude mais forte por parte da Prefeitura. Ao contrário, o que a gente sente é como se a gestão tivesse lavado as mãos”.

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta