Onde estão os adoradores da Rosa?

O emocionante hino à Rosalba “Viva todas as rosas” vem caindo no esquecimento. A legião de seguidores que reconduziram Rosalba Ciarlini ao seu quarto mandato de prefeita de Mossoró segue calada diante das cobranças dos mossoroenses pelas promessas de colocar Mossoró no “caminho certo”.

É desolador ver a “grande líder do povo de Mossoró” cumprindo agenda com três ou quatro secretários e mais ninguém.

Embora soubesse da realidade financeira do município, bem diferente de quando ela foi prefeita em seus três primeiros mandatos, Rosalba Ciarlini se colocou como salvadora da pátria, fada madrinha que poderia resolver todos os problemas que atingem a cidade. Mas o pote de ouro não está mais no fim do arco-íris.

Passada a eleição, as promessas não foram cumpridas, a cidade está pior e a super prefeita precisa se esconder dos protestos dos servidores, faltar a compromissos, enviar representantes para evitar vexames, situações que ela foi obrigada a passar quando foi governadora e que não possui condições psicológicas para lidar novamente. Agenda com o povo só se for de surpresa, como aconteceu na feira do bode.

Para evitar protesto dos servidores, Roslaba faltou à abertura da Feira do Bode e realizou uma visita surpresa nesta sexta-feira, acompanhada de alguns secretários e vereadores. Ainda assim, a recepção não foi muito boa.

O motivo é um só. A cidade está um caos. Assaltos todos os dias em unidades de saúde do município,  escolas arrombadas, o lixo tomando conta da cidade, as ruas esburacadas, os ônibus ameaçando ir embora, a população desempregada e sendo sacrificada, tendo que pagar a maior taxa de IPTU da história da cidade. A saúde está pedindo socorro. Falta tudo nas Unidades de Saúde, inclusive médicos. As cirurgias eletivas seguem suspensas, e a falta de repasse para a maternidade beira uma situação que as mães mossoroenses não querem relembrar.

Ah minha Mossoró, o que ela está fazendo com você? Oito meses apenas e a prefeitura voltou a ser um cabide de emprego. A politicagem voltou a indicar quem ocupa os cargos. O critério de escolha não é competência mas o apadrinhamento.

Ah minha Mossoró, até quando ficarás mas mãos de uma família que só quer sugar de um povo bravo e batalhador que vive o descaso de uma administração de fachada, que mente, engana, maqueia e diz que está tudo bem?

Ah, minha Mossoró!

Deixe uma resposta