sábado, 29 abril, 2017.
Sem categoria

Sem categoria

Após mais de 80 mortes, Prefeitura só pensa em Cidade Junina

A pergunta é simples: você tem coragem de participar do Mossoró Cidade Junina este ano após mais de 80 mortes violentas em Mossoró?

Números alarmantes de assaltos, arrastões e homicídios têm feito o mossoronse não conseguir mais nem sentar na calçada, enquanto isso a prefeita Rosalba Ciarlini não se posiciona nem muito menos traz qualquer projeto para a Segurança.

Todas as atenções da Prefeitura estão voltadas para o Mossoró Cidade Junina. A regra agora é juntar dinheiro, esquecer buracos, serviços básicos, fechar outros, e se preparar para dar a festa que “o povo quer” como marca do retorno de Rosalba à Prefeitura.

Com uma cidade insegura, sem planejamento, onde a gestora não se pronuncia, afinal, alguém ainda tem coragem de sair de casa?

RN registra 21 homicídios durante feriado prolongado de Tiradentes, diz instituto

A escalada da violência não deu trégua no Rio Grande do Norte durante o feriado prolongado de Tiradentes. De sexta-feira (21) até domingo (23), 21 pessoas foram assassinadas no estado, segundo relatório do Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO).

Do início de 2017 até a noite do último domingo (23) 778 pessoas haviam sido mortas no estado – um aumento de 31% em relação ao mesmo período ano passado, quando 594 morreram vítimas de “crimes violentos letais intencionais”, de acordo com dados do órgão.

Além de homicídios dolosos, entram na estatística outros crimes violentos que resultem em morte, como roubo (no latrocínio), estupro ou lesão corporal seguidos de morte. Cadáveres e ossadas encontradas e mortos em confrontos policiais também são considerados.

Violência urbana

A região metropolitana de Natal concentra mais da metade dos assassinatos registrados durante o feriado – 12. Só na capital, seis pessoas foram mortas. Em Monte Alegre, duas. Os municípios de Ceará-Mirim, Macaíba, Parnamirim e São José de Mipibu tiveram uma morte cada um.

Mossoró, principal cidade do Oeste potiguar, vem em segundo lugar no número de assassinatos, com quatro vítimas. Os municípios de Assu, próximo a Mossoró, Canguaretama, Jardim de Piranhas, Monte das Gameleiras e Santa Cruz registraram uma morte cada um.
A grande maioria das pessoas assassinadas – 17 – foi vítima de arma de fogo. Segundo o relatório do OBVIO, outras duas pessoas foram espancadas até a morte; uma foi morta com um objeto contundente; e uma com arma branca.

obvio

Atualmente, o RN enfrenta uma crise sem precedentes na segurança pública, principalmente com o crescimento constante do número de homicídios nos últimos anos, acompanhado pelo OBVIO. No início de abril, uma pesquisa elaborada pela ONG mexicana Conselho Cidadão para Segurança Pública e Justiça Penal apontou Natal como a 10ª cidade mais violenta do mundo e a 1ª do Brasil, com 69,56 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes.

Ao assumir a Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social na última quarta-feira (19), Sheila Freitas afirmou que pretende “otimizar o trabalho do efetivo reduzido de policiais”. Segundo a nova secretária, o reforço no policiamento ostensivo nas ruas é uma das necessidades mais urgentes. Para isso, uma parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) deve disponibilizar R$ 3 milhões destinados ao pagamento de Diárias Operacionais (DOs).
(Do G1/RN)

Vereadores de Mossoró denunciam aumento de crimes contra o patrimônio público e pedem retorno das BICs

Loja de Artesanato do Memorial da Resistência foi arrombada duas vezes em 2017

A violência em Mossoró e os crimes contra o patrimônio público foram tema de discussão na Câmara Municipal de Mossoró. O vereador João Gentil (PV) falou sobre o aumento dos crimes ao patrimônio público na cidade em relação aos registrados em 2016. Segundo ele, houve um aumento significante nos boletins de ocorrência registrados.

O vereador falou também sobre o crescimento nos assaltos aos comércios e residências em Mossoró. “Tive a oportunidade de me reunir com o comando da Polícia Militar e o que me chamou atenção foi o aumento no índice de crimes violentos ao patrimônio. Sobre invasão a comércios e residências, no primeiro trimestre deste ano, o aumento foi de 58,4%.”, disse.

O vereador pediu a volta das diárias operacionais que eram pagas pela Prefeitura Municipal aos policiais militares. “Em 2016 nós tínhamos o pagamento das diárias operacionais no valor de 70 reais. Os PMs têm sido grandes heróis, vão para a rua sem efetivo e sem estrutura para combater o crime, precisamos nos unir a eles e valorizá-los.”, completou.

BIC

O vereador Raerio Emídio (PRB) aproveitou o tema para solicitar a volta das Bases Integradas Cidadãs (BICs) nos bairros de Mossoró. “Eu perguntei para as pessoas se a BIC funcionava e disseram que funcionava muito bem. Andei na Boa Vista e em outros bairros para perguntar à população. E também acho que as diárias operacionais têm que voltar. A segurança é responsabilidade da União, Estado e Município. A Prefeitura tem que fazer sua parte nisso.”, declarou.

Natal vai ter Dia Municipal de Combate à Corrupção

O plenário da Câmara de Natal aprovou nesta quarta-feira (20), durante sessão ordinária, um Projeto de Lei de autoria do ex-vereador Bertone Marinho, subscrito pelo vereador Dinarte Torres (PMB), que institui o dia 09 de dezembro como o Dia Municipal de Combate à Corrupção. A matéria tem como objetivo intensificar neste dia ações e reflexões sobre o tema com a participação de agentes da sociedade civil organizada.

“A população não aguenta mais tanto desrespeito! Lamentavelmente, a corrupção é um assunto que está mais que em dia no Brasil. Seria, inclusive, ideal e natural que todos os dias fossem de combate à corrupção. Porque desvios de verbas no Poder Público prejudicam a sociedade brasileira. Dito isso, acredito que nos posicionamos neste grande debate e oferecemos nossa contribuição”, defendeu o vereador Dinarte Torres.

Também foram aprovados outros dois textos. Um de iniciativa do ex-vereador Joanilson Rêgo, subscrito pelo vereador Paulinho Freire (SD) e pela vereadora Ana Paula (PSDC), que torna a Avenida Campos Sales uma das pistas de caminhada do bairro Petrópolis; outro do ex-vereador Maurício Gurgel, subscrito pelo vereador Fernando Lucena (PT), que proíbe a discriminação por uso de tatuagens no serviço público municipal.

Texto: Junior Martins
Fotos: Elpídio Júnior

Rosalba, Robinson e outros 4 políticos do RN aparecem na lista da Lava-Jato

O “Estadão”  publicou com exclusividade a relação do ministro relator da Lava-Jato, no Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin.

A relação pegou o Rio Grande do Norte de surpresa. Aparecem na relação os nomes do Governador Robinson Faria e seu filho, o deputado federal Fábio Faria; da ex-governadora e prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini; o senador José Agripino Maia e seu filho, o deputado federal Felipe Maia e o senador Garibaldi Alves Filho.

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de inquérito contra nove ministros do governo Temer, 29 senadores e 42 deputados federais, entre eles os presidentes das duas Casas –como mostram as 83 decisões do magistrado do STF, obtidas com exclusividade pelo Estado. O grupo faz parte do total de 108 alvos dos 83 inquéritos que a Procuradoria-Geral da República (PGR) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) com base nas delações dos 78 executivos e ex-executivos do Grupo Odebrecht, todos com foro privilegiado no STF. Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, não aparecem nesse conjunto porque não possuem mais foro especial.

O Estado teve acesso a despachos do ministro Fachin, assinados eletronicamente no dia 4 de abril.
Também serão investigados no Supremo um ministro do Tribunal de Contas da União, três governadores e 24 outros políticos e autoridades que, apesar de não terem foro no tribunal, estão relacionadas aos fatos narrados pelos colaboradores.

Os senadores Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, e Romero Jucá (RR), presidente do PMDB, são os políticos com o maior número de inquéritos a serem abertos: 5, cada. O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), ex-presidente do Senado, vem em seguida, com 4.

O governo do presidente Michel Temer é fortemente atingido. A PGR pediu investigações contra os ministros Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil, , Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia, Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional, Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores, Blairo Maggi (PP), da Agricultura, Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, Roberto Freire (PPS), da Cultura, e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Padilha e Kassab responderão em duas investigações, cada.

As investigações que tramitarão especificamente no Supremo com a autorização do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato na Corte, foram baseadas nos depoimentos de 40 dos 78 delatores.

Os relatos de Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo, são utilizados em 7 inquéritos no Supremo. Entre os executivos e ex-executivos, o que mais forneceu subsídios para os pedidos da PGR foi Benedicto Júnior, (ex-diretor de Infraestrutura) que deu informações incluídas em 34 inquéritos. Alexandrino Alencar (ex-diretor de Relações Institucionais) forneceu subsídios a 12 investigações, e Cláudio Melo Filho (ex-diretor de Relações Institucionais) e José de Carvalho Filho (ex-diretor de Relações Institucionais), a 11.

Os crimes mais frequentes descritos pelos delatores são de corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, e há também descrições a formação de cartel e fraude a licitações.

Imunidade. O presidente da República, Michel Temer (PMDB), é citado nos pedidos de abertura de dois inquéritos, mas a PGR não o inclui entre os investigados devido à “imunidade temporária” que detêm como presidente da República. O presidente não pode ser investigado por crimes que não decorreram do exercício do mandato.

Lista. Os pedidos do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foram enviados no dia 14 de março ao Supremo. Ao todo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou ao STF 320 pedidos – além dos 83 pedidos de abertura de inquérito, foram 211 de declínios de competência para outras instâncias da Justiça, nos casos que envolvem pessoas sem prerrogativa de foro, sete pedidos de arquivamento e 19 de outras providências. Janot também pediu a retirada de sigilo de parte dos conteúdos.

Entre a chegada ao Supremo e a remessa ao gabinete do ministro Edson Fachin, transcorreu uma semana. O ministro já deu declarações de que as decisões serão divulgadas ainda em abril. Ao encaminhar os pedidos ao STF, Janot sugeriu a Fachin o levantamento dos sigilos dos depoimentos e inquéritos.

A LISTA DOS ALVOS

  1. Senador da República Romero Jucá Filho (PMDB-RR)
  2. Senador Aécio Neves da Cunha (PSDB-MG)
  3. Senador da República Renan Calheiros (PMDB-AL)
  4. Ministro da Casa Civil Eliseu Lemos Padilha (PMDB-RS)
  5. Ministro da Ciência e Tecnologia Gilberto Kassab (PSD)
  6. Senador da República Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE)
  7. Deputado Federal Paulinho da Força (SD-SP)
  8. Deputado Federal Marco Maia (PT-RS)
  9. Deputado Federal Carlos Zarattini (PT-SP)
  10. Deputado Federal Rodrigo Maia (DEM-RM), presidente da Câmara
  11. Deputado federal João Carlos Bacelar (PR-BA)
  12. Deputado federal Milton Monti (PR-SP)
  13. Governador do Estado de Alagoas Renan Filho (PMDB)
  14. Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República Wellington Moreira Franco (PMDB)
  15. Ministro da Cultura Roberto Freire (PPS)
  16. Ministro das Cidades Bruno Cavalcanti de Araújo (PSDB-PE)
  17. Ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB)
  18. Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços Marcos Antônio Pereira (PRB)
  19. Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Blairo Borges Maggi (PP)
  20. Ministro de Estado da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB)
  21. Senador da República Paulo Rocha (PT-PA)
  22. Senador Humberto Sérgio Costa Lima (PT-PE)
  23. Senador da República Edison Lobão (PMDB-PA)
  24. Senador da República Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
  25. Senador da República Jorge Viana (PT-AC)
  26. Senadora da República Lidice da Mata (PSB-BA)
  27. Senador da República José Agripino Maia (DEM-RN)
  28. Senadora da República Marta Suplicy (PMDB-SP)
  29. Senador da República Ciro Nogueira (PP-PI)
  30. Senador da República Dalírio José Beber (PSDB-SC)
  31. Senador da República Ivo Cassol
  32. Senador Lindbergh Farias (PT-RJ)
  33. Senadora da República Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)
  34. Senadora da República Kátia Regina de Abreu (PMDB-TO)
  35. Senador da República Fernando Afonso Collor de Mello (PTC-AL)
  36. Senador da República José Serra (PSDB-SP)
  37. Senador da República Eduardo Braga (PMDB-AM)
  38. Senador Omar Aziz (PSD-AM)
  39. Senador da República Valdir Raupp
  40. Senador Eunício Oliveira (PMDB-CE)
  41. Senador da República Eduardo Amorim (PSDB-SE)
  42. Senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE)
  43. Senador da República Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN)
  44. Senador da República Ricardo Ferraço (PSDB-ES)
  45. Deputado Federal José Carlos Aleluia (DEM-BA)
  46. Deputado Federal Daniel Almeida (PCdoB-BA)
  47. Deputado Federal Mário Negromonte Jr. (PP-BA)
  48. Deputado Federal Nelson Pellegrino (PT-BA)
  49. Deputado Federal Jutahy Júnior (PSDB-BA)
  50. Deputada Federal Maria do Rosário (PT-RS)
  51. Deputado Federal Felipe Maia (DEM-RN)
  52. Deputado Federal Ônix Lorenzoni (DEM-RS)
  53. Deputado Federal Jarbas de Andrade Vasconcelos (PMDB-PE)
  54. Deputado Federal Vicente “Vicentinho” Paulo da Silva (PT-SP)
  55. Deputado Federal Arthur Oliveira Maia (PPS-BA)
  56. Deputada Federal Yeda Crusius (PSDB-RS)
  57. Deputado Federal Paulo Henrique Lustosa (PP-CE)
  58. Deputado Federal José Reinaldo (PSB-MA), por fatos de quando era governador do Maranhão
  59. Deputado Federal João Paulo Papa (PSDB-SP)
  60. Deputado Federal Vander Loubet (PT-MS)
  61. Deputado Federal Rodrigo Garcia (DEM-SP)
  62. Deputado Federal Cacá Leão (PP-BA)
  63. Deputado Federal Celso Russomano (PRB-SP)
  64. Deputado Federal Dimas Fabiano Toledo (PP-MG)
  65. Deputado Federal Pedro Paulo (PMDB-RJ)
  66. Deputado federal Lúcio Vieira Lima (PDMB-BA)
  67. Deputado Federal Paes Landim (PTB-PI)
  68. Deputado Federal Daniel Vilela (PMDB-GO)
  69. Deputado Federal Alfredo Nascimento (PR-AM)
  70. Deputado Federal Zeca Dirceu (PT-SP)
  71. Deputado Federal Betinho Gomes (PSDB-PE)
  72. Deputado Federal Zeca do PT (PT-MS)
  73. Deputado Federal Vicente Cândido (PT-SP)
  74. Deputado Federal Júlio Lopes (PP-RJ)
  75. Deputado Federal Fábio Faria (PSD-RN)
  76. Deputado Federal Heráclito Fortes (PSB-PI)
  77. Deputado Federal Beto Mansur (PRB-SP)
  78. Deputado Federal Antônio Brito (PSD-BA)
  79. Deputado Federal Décio Lima (PT-SC)
  80. Deputado Federal Arlindo Chinaglia (PT-SP)
  81. Ministro do Tribunal de Contas da União Vital do Rêgo Filho
  82. Governador do Estado do Rio Grande do Norte Robinson Faria (PSD)
  83. Governador do Estado do Acre Tião Viana (PT)
  84. Prefeita Municipal de Mossoró/RN Rosalba Ciarlini (PP), ex-governadora do Estado
  85. Valdemar da Costa Neto (PR)
  86. Luís Alberto Maguito Vilela, ex-Senador da República e Prefeito Municipal de Aparecida de Goiânia entre os anos de 2012 e 2014
  87. Edvaldo Pereira de Brito, então candidato ao cargo de senador pela Bahia nas eleições 2010
  88. Oswaldo Borges da Costa, ex-presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais/Codemig
  89. Senador Antônio Anastasia (PSDB-MG)
  90. Cândido Vaccarezza (ex-deputado federal PT)
  91. Guido Mantega (ex-ministro)
  92. César Maia (DEM), vereador e ex-prefeito do Rio de Janeiro e ex-deputado federal
  93. Paulo Bernardo da Silva, então ministro de Estado
  94. Eduardo Paes (PMDB), ex-prefeito do Rio de Janeiro
  95. José Dirceu
  96. Deputada Estadual em Santa Catarina Ana Paula Lima (PT-SC)
  97. Márcio Toledo, arrecadador das campanhas da senadora Suplicy
  98. Napoleão Bernardes, Prefeito Municipal de Blumenau/SC
  99. João Carlos Gonçalves Ribeiro, que então era secretário de Planejamento do Estado de Rondônia
  100. advogado Ulisses César Martins de Sousa, à época Procurador-Geral do Estado do Maranhão
  101. Rodrigo de Holanda Menezes Jucá, então candidato a vice-governador de Roraima, filho de Romer Jucá
  102. Paulo Vasconcelos, marqueteiro de Aécio
  103. Eron Bezerra, marido da senadra Grazziotin
  104. Moisés Pinto Gomes, marido da senadora Kátia Abreu, em nome de quem teria recebido os recursos – a38
  105. Humberto Kasper
  106. Marco Arildo Prates da Cunha
  107. Vado da Famárcia, ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho
  108. José Feliciano.

Veja também