domingo, 25 agosto, 2019.

Arquivos diários: 25 de abril de 2018

Sindicato planeja iniciar greve no início do Mossoró Cidade Junina

Os servidores públicos municipais decidiram que caso a Prefeitura de Mossoró não reajuste os salários até o mês de maio, a categoria pode iniciar a primeira greve do ano.

O início da mobilização tem data estratégica: Dia 2 de junho, abertura do Mossoró Cidade Junina com o tradicional Pingo da Mei Dia. O sindicato da categoria, Sindiserpum, planeja usar o jargão “Tô no Pingo da Mei Dia Sem um Pingo de Aumento”.

A categoria tomou essa decisão em assembleia realizada nesta quarta-feira (25), pelo sindicato. A principal reivindicação é o reajuste salarial. De acordo com o grupo sindical, desde o início do governo Rosalba Ciarlini que os salários estão congelados.

Uma outra medida de pressão será entrar com uma ação de representação no Ministério Público Estadual para pedir que seja instaurado um inquérito administrativo com objetivo de fiscalizar os recursos do município que custeiam o Mossoró Cidade Junina.

Do blog do Saulo Vale

Atos que motivaram reprovação de Robinson livraram Rosalba no TCE

Dentre os pontos apresentados pela Seplan que foram iguais na gestão de Robinson e de Rosalba (aprovadas com ressalvas pela Corte de Contas), estão a abertura de créditos adicionais suplementares; as despesas com pessoal acima do limite legal; e o registro de despesas pagas sem orçamento, constituindo o chamado “pagamento por ofício”. Detalhe que este caso é considerado um dos mais graves do exercício de 2016, eles foram duas vezes maiores em 2014.

Segundo o relatório da Seplan, no último ano da gestão Rosalba esses supostos pagmentos por ofício representaram um montante de R$ 161 milhões, enquanto no segundo ano da gestão Robinson foram apenas R$ 68 milhões. “Irregularidades indicadas como graves, especialmente no último ano de mandato, exaustivamente demonstradas no relatório técnico sobre a PCA 2014, elaborado pelo TCE RN e não encontram correspondência com os fatos enumerados pelo Tribunal em face das contas relativas ao ano de 2016”, apontou o relatório da Secretaria de Planejamento.

Contudo, nem só na comparação entre Robinson e Rosalba o relatório técnico da secretaria foi construído. O material também explicou aspectos que foram considerados irregulares pelo TCE, mas apontados como corretos e previstos pelo Governo. Exemplo: os créditos suplementares, que teriam representado um montante de R$ 131 milhões em 2016, sem comprovação de efetivo excesso de arrecadação da gestão Robinson.

A Secretaria Estadual de Planejamento lembra ainda que o governador Robinson Faria não é ordenador de despesas “cabendo as autoridades delegadas os atos específicos de execução, inclusive, com a escolha dos meios hábeis a implementação a ação governamental”. E mesmo que fosse, parte das irregularidades condenadas pelo TCE são consequentes da conjectura nacional, conforme apontou a própria secretaria do Tesouro Nacional, a STN.

“O desequilíbrio fiscal não é consequência de atos praticados pela atual gestão governamental, a qual não teria dado causa às adversidades conjunturais nem poderia ser responsabilizada pelo grave desequilíbrio atuarial do regime próprio de previdência dos servidores estaduais, realidade local que reflete a questão nacional da Previdência Social do Serviço Público, cuja mudança exige, como sabido, reforma da Constituição Nacional”.

Nessa cota que não poderiam culpar o governador, inclusive, estariam as despesas com pessoal acima do limite legal estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “Mesmo exonerando-se a totalidade dos cargos comissionados, seria ainda necessária a demissão de 30% dos servidores ativos para que o Estado se enquadre nos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal”, apontou o relatório da Seplan.

Por Ciro Marques/Agora RN 

Suspeito do desaparecimento da menina Yasmim tem casa saqueada e depredada

Moradores do bairro da Redinha, na Zona Norte de Natal, depredaram e saquearam a casa de um homem suspeito de ter envolvimento no desaparecimento da menina Yasmin Lorena de Araújo, de 12 anos, que foi vista com vida pela última vez no dia 28 de março.

Este suspeito, segundo a Polícia Civil, passou a ser procurado após um corpo ter sido encontrado na tarde desta terça-feira (24) enterrado dentro de uma casa que fica na mesma rua a menina mora. A própria polícia acredita que o corpo seja o de Yasmim, mas, em razão do avançado estado de decomposição, essa identificação ainda não foi oficialmente confirmada.

Um segundo suspeito foi preso e já indiciado por ocultação de cadáver.

A casa depredada fica ao lado da residência onde mora a família de Yasmim. De acordo com a Polícia Militar, os moradores acham que estão fazendo justiça. Móveis, eletrodomésticos, e até uma pia inteira foram levados pelas pessoas que invadiram a casa. Os cômodos ficaram revirados e pichações foram feitas nas paredes da residência.

O desaparecimento

Yasmin foi vista pela última vez por volta das 13h do dia 28 de março. De acordo com a família, a menina saiu de casa, na Rua José Acácio de Macedo, na comunidade da África, na Redinha, para entregar um dinheiro a uma vizinha a pedido da mãe. A mulher que receberia o dinheiro mora em uma rua próxima, e disse que a menina sequer chegou ao destino. A família então procurou a polícia e fez uma queixa do desaparecimento dela. Desde então, começaram as buscas por Yasmim.

Por G1 RN – Foto: Rafael Barbosa/G1

Veja também

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com