FEMURN precisa de independência e experiência

Dentre os três nomes colocados em disputa para a presidência da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN), sem dúvidas, o de Benes Leocádio é o que mais tem a contribuir com a entidade e com os municípios do Rio Grande do Norte, especialmente neste momento de queda de arrecadação e grave crise pelo qual os municípios potiguares estão passando.

Benes tem a seu favor três fatores determinantes para fazer uma boa gestão: a experiência, de quem já foi prefeito do município de Lajes, presidente da FEMURN e vice-presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM); a independência política e a disponibilidade, uma vez que não tendo mandato a cumprir, pode se dedicar integralmente à Federação e às questões dos municípios do Rio Grande do Norte.

Já seus adversários, carregam o peso de seus apoios políticos, além de necessitarem, caso sejam eleitos, se dividir entre seus municípios, onde são prefeitos, e a Federação. E neste momento, essa ausência pode resultar em problemas na gestão. Dagoberto Bessa, prefeito de Severiano Melo, é o candidato do governador Robinson Faria. Já Rivelino Câmara, prefeito de Patu, tem o apoio do PMDB de Henrique e Garibaldi Alves.

Deixe uma resposta