domingo, 24 junho, 2018.
Nacional

Nacional

População preta e parda representa 75% dos mais pobres

A desigualdade de renda no Brasil, ainda que decrescente nos últimos anos, reflete a segmentação por cor e raça. É o que mostra a Síntese de Indicadores Sociais (SIS): uma análise das condições de vida da população brasileira 2016, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Pretos ou pardos representavam, em 2015, 54% do total da população, mas eram 75,5% das pessoas com os 10% menores rendimentos (contra 23,4% de brancos). Ao mesmo tempo, representavam apenas 17,8% das pessoas entre o 1% da população com os maiores rendimentos (contra 79,7% de brancos).

Em 2015, o Índice de Palma mostrou que os 10% com os maiores rendimentos da população concentravam três vezes mais do total de rendimentos que os 40% com os menores rendimentos, o que representou estabilidade frente a 2014 (3,1). Em relação a 2005 (4,1), houve redução significativa da desigualdade.

Saúde
Com dados da Pesquisa Nacional de Saúde de 2013, 37,8% da população adulta preta ou parda avaliou sua saúde como regular, ruim ou muito ruim, contra 29,7% da população branca. Pretos ou pardos (38,7%) também estavam mais expostos a viver em um domicílio com condições precárias (sem acesso simultâneo a abastecimento de água por rede geral, esgotamento sanitário por rede geral ou fossa séptica e coleta de lixo) do que brancos (22,3%).

Ao mesmo tempo, 53,1% das pessoas pretas ou pardas de 18 anos ou mais de idade estavam em domicílios sem máquina de lavar, contra 27,2% da população branca. Em 2013, 42,7% das pessoas de 18 anos ou mais que moravam em domicílios sem acesso a serviços básicos classificaram sua saúde como regular, ruim ou muito ruim, contra 29,9% das que moravam em domicílios com acesso a esses serviços.

Havia em 2013 uma maior proporção de pessoas, nos estados das regiões Norte e Nordeste, com autoavaliação da saúde em regular, ruim e muito ruim e que não foram ao médico nos últimos 12 meses, indo de 15,1% da população adulta do Maranhão e 14,2% no Pará, entre as maiores exposições, contra 2,7% e 2,8%, respectivamente, em Santa Catarina e São Paulo.

Brasileiro terá de contribuir 49 anos para garantir 100% da aposentadoria

Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, querem urgência na votação desse projeto

Provavelmente os brasileiros defensores do atual governo não se dão conta do problema que estão apoiando. Sob argumento de salvar a economia, o governo Michel Temer está propondo mudança na previdência que são vistas, por alguns, como cruel e insana, uma vez que antes de impor uma proposta tão rígida, era necessário reduzir regalias dos poderes. A proposta mais polêmica prevê que o brasileiro terá de trabalhar 49 anos para ter direito a 100% da aposentadoria.

O novo modelo propõe 65 anos como idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres segurados do INSS e servidores públicos, trabalhadores rurais e urbanos. A regra também serve para políticos e detentores de cargos eletivos, mas o governo não conta que há uma diferença muito grande entre a vida de um senador e de um trabalhador rural ou de uma professora de nível médio.

Será possível se aposentar com 65 anos e 25 anos de contribuição, porém o cidadão só terá direito a 76% do salário. Para ter direito a 100% teria de trabalhar outros 24 anos, ou seja: dar duro até os 89 anos, neste caso específicos.

Aprovado o pacote de Temer, as novas regras passam a valer para homens com até 49 anos e para mulheres com até 44 anos. Para homens com 50 anos ou mais e para mulheres com 45 anos ou mais haverá uma regra de transição. Deficientes físicos e trabalhadores em condições insalubres continuarão com regras especiais.

(Com Reuters)

Arena das Dunas foi construída por um cartel, diz Andrade Gutierrez

 

Ao assinar acordo com leniência com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a empresa Andrade Gutierrez abriu o jogo e entregou que o Arena das Dunas, em Natal, foi um dos cinco estádios construídos por um cartel envolvendo seis empresas. O Ministério Público Federal acompanhou a delação como parte do desdobramento da Operação Lava Jato que também apura irregularidades do mundial.

A informação cai como um meteoro e pode atingir alguns políticos do Estado. O primeiro documento divulgado pelo Cade mostra que a Andrade não está poupando informações, tanto que entregou todo o esquema.

Além do estádio de Natal, entraram na negociata as arenas Castelão (Fortaleza), Maracanã (RJ), Pernambuco e Fonte Nova (Salvador). Reportagem da Folha mostra que as seis empresas participantes do esquema foram, segundo a colaboração premiada, a Andrade Gutierrez, Odebrecht, OAS, Carioca Engenharia, Queiroz Galvão e Camargo.

De acordo com o Cade, o acordo entre as empresas envolvia a divisão dos projetos, preços, condições e vantagens entre eles. O esquema começou em 2007, logo que o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo, e se estendeu até 2010, quando foram definidos quais estádios seriam construídos no país.

Arena das Dunas
O Arena das Dunas foi construído no lugar onde antes existia o estádio Machadão, orgulho histórico do futebol da capital potiguar. Na época, o governo era Wilma de Faria (hoje do PT do B) que foi quem começou a viabilizar o projeto a duras penas. Para isso, criou o “Fundo Garantidor da Parceria Público Privada (PPP) Arena das Dunas”, que passou a ser avalista do negócio. O fundo colocou em jogo como garantia R$ 70 milhões da arrecadação dos royalties do petróleo e diversos imóveis públicos de propriedade do Governo, entre eles a área do Parque de Exposições Aristofanes Fernandes.

Porém, somente em 2011, já no governo de Rosalba Cialrini (hoje no PP), é que o Estado conseguiu concluiu a licitação, apresentando a OAS como “vencedora da licitação”. As obras se iniciaram no dia 15 deste ano, mas o estádio só foi inaugurado em janeiro de 2014. À época, ficou custando R$ 10 milhões por mês aos cofres públicos, hoje essa cifra já está na casa dos R$ 15 milhões.

Agripino e Henrique investigados
Em outubro de 2015, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedido para investigar o senador José Agripino Maia (DEM), por suspeita de crime de corrupção e lavagem de dinheiro. No processo, Agripino era suspeito de combinar propina com executivos da OAS das obras do Arena das Dunas. À época, o senador disse que a acusação era descabida e que se colocaria à disposição do Judiciário para esclarecimentos.

Outro que foi citado com suposto envolvimento no esquema de recebimento de propina do Arena, foi o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB). Matéria da Veja, publicada em novembro deste ano, diz que tanto ele quanto Agripino teriam recebido dinheiro em troca de ajuda no processo de liberação de financiamento da obra.

De acordo com a revista, a PF descobriu mensagens trocadas entre eles e Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, que comprovavam empenho dos potiguares na ação de agilizar os processos do empresa. Em uma das mensagens Henrique escreveu: “Seg, em BSB, vou pra cima do TCU. Darei Notícias!” [sic]. A reportagem diz ainda que José Agripino se reuniu com o conselheiro do TCE/RN para tratar sobre liberação de recurso da obra junto ao BNDES.

Em delação premiada, Léo Pinheiro confirmou que a construtora agiu para driblar a fiscalização dos tribunais e que pagou propina aos políticos que ajudaram. Sobre o assunto, Henrique disse à revista que “uma coisa não tinha nada a ver com a outra” e que o dinheiro que recebeu da OAS foi legal. Agripino confirma ter falado sobre ao assunto com o conselheiro do TCE/RN, “mas ele não mudou de posição”. Disse também que o dinheiro recebido da empresa foi oficial e legal.

IBGE: 56% dos jovens de 15 anos ou mais vive em união estável

Em 2015, 56,3% das pessoas de 15 anos ou mais viviam em união, sendo que 36,5% eram casadas no civil e/ou religioso e 19,8% viviam em união consensual. Cerca de uma em cada cinco (18,3%) pessoas nessa faixa de idade não viviam, mas já tinham vivido em união, e uma em cada quatro (25,4%) nunca viveram em união. É o que mostra a Síntese de Indicadores Sociais (SIS): uma análise das condições de vida da população brasileira 2016, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para os homens, em 2015, a proporção que vivia em união conjugal foi crescente com a idade, mantendo níveis elevados (entre 70,0% e 80,0%) acima de 30 anos de idade; para as mulheres o indicador foi crescente até os grupos de 30 a 39 e 40 a 49 anos de idade, atingindo valores próximos a 70,0% das pessoas nestas faixas de idade, passando a decrescer nos grupos a partir dos 50 anos de idade.

Dicas para aproveitar ao máximo a Black Friday

Embora a tradição da Black Friday seja acontecer apenas um dia no ano, essa regra não é seguida a risca. Os descontos que todo mundo espera começam, muitas vezes, antes da data oficial e se estendem por mais alguns dias.

Por isso, embora a Black Friday já tenha acabado em alguns lugares, ainda é possível encontrar muitas ofertas incríveis, tanto em lojas físicas como na internet.

E para aproveitar ao máximo as ofertas que o comércio oferece, que tal conferir algumas dicas que vão te ajudar na hora das compras? Confira.

 2211blackfriday_sacolas-6326779

1 – Compare os preços

Infelizmente a Black Friday é cheia de pegadinhas para o consumidor. Alguns lojistas costumam subir o valor dos produtos dias antes das ofertas e depois oferecem um desconto que mantém o preço original do produto.

Por isso, faça comparações de preços antigos e os preços da oferta, através de aplicativos e sites comparadores de preço, como o Bondfaro ou o Buscapé é possível fazer essa pesquisa. Para economizar é preciso adquirir produtos que realmente tenham sofrido queda em seus preços originais.

2 –Pesquise

Embora a vontade de comprar e aproveitar as ofertas seja grande, não ceda à tentação, pesquise antes de bater o martelo. Você pode encontrar preços e descontos ainda melhores. Então, comece suas buscas e compare, inclusive, o frete e também o tempo de entrega, a garantia, a possibilidade de trocas, entre outras vantagens.

3 – Não compre por comprar

Muita gente espera chegar a Black Friday para comprar somente pelo prazer de comprar. Se você deseja economizar essa é uma péssima escolha. Planeje aquilo que você realmente precisa ou algo que deseja ter. Foque nisso e aproveite as ofertas.

Se você sair comprando tudo só porque está com preço baixo pode tomar um grande susto com o valor final de sua compra e acabar aumentando suas dívidas.

4 – Registre tudo

Não importa se sua compra será em loja física ou pela internet, registre todas as ofertas que você vai aproveitar. Seja guardando um panfleto, batendo fotos de cartazes ou tirando o print da tela em cada etapa da compra.

thinkstockphotos-477455874

O importante é você registrar que estava interessado no produto por aquele preço, e se o valor ao final estiver diferente do que a loja prometeu, você tem como brigar pelo seu direto.

5 – Opte pelo cartão de crédito

Comprar pelo cartão facilita o estorno do valor caso aconteça algum problema com sua compra, como se o produto estiver com avarias ou se não for entregue conforme combinado. Quando a compra é feita no boleto ou dinheiro esse processo pode ser mais demorado.

As ofertas de final de ano vão continuar, e as compras de Natal se aproximam, por isso, fique de olho para realmente economizar e sair ganhando.

Veja também

Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com