Sal Grosso: juiz determina afastamento de Izabel e Claudionor

Deflagrada em novembro de 2007, para investigar um suposto esquema de desvio de dinheiro na Câmara de vereadores de Mossoró, envolvendo empréstimos consignados, a Operação Sal Grosso teve mais um desdobramento nos últimos dias.

No último dia 7, o juiz Cláudio Mendes Júnior, da 3ª Vara Criminal, proferiu mais uma decisão, que pode mexer na composição do Legislativo, já que determinou o afastamento do cargo da vereadora reeleita Izabel Montenegro (PMDB) e do vereador Claudionor dos Santos (PEN), que não conseguiu renovar o mandato.

Izabel Montenegro e Claudionor dos Santos
Izabel Montenegro e Claudionor dos Santos

Além do afastamento do cargo, o juiz manteve a condenação de cinco anos e quatro meses de reclusão mais pagamento de multa não apenas aos dois vereadores, como também a outros condenados no processo, os ex-vereadores Osnildo Morais (PHS), Aluísio Feitosa (PDT), Benjamim Machado (PR), Daniel Gomes (PSD) e Gilvanda Peixoto.

Já o então presidente da Câmara, Júnior Escóssia, foi condenado a seis anos e quatro meses de reclusão, e pagamento de multa de maior valor que a dos colegas, além da perda do cargo de auditor fiscal da Prefeitura de Mossoró.

Todos poderão recorrer em liberdade.

Em 2007, o Legislativo mossoroense era composto por 13 vereadores. Apenas a então vereador Arlene não foi investigada, por não ter contraído empréstimo consignado. Já os então vereadores Francisco José Júnior, atual prefeito de Mossoró; Renato Fernandes, atual secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Chico da Prefeitura, foram inocentados.

Deixe uma resposta